Edificado em 10 dias para abrigar o então Presidente da República, Juscelino Kubitschek, enquanto Brasília era construída, o Palácio de Tábuas, logo apelidado de “Catetinho” (em referência ao Palácio do Catete, então residência oficial do presidente no Rio de Janeiro) é marco pioneiro da transferência da sede do poder do Brasil para o interior do país.

Um dos primeiros projetos de Oscar Niemeyer no território da nova capital, e um de seus primeiros edifícios em pilotis (um sistema construtivo em que uma edificação é sustentada através de uma grelha de pilares em seu pavimento térreo), o Catetinho foi tombado como patrimônio histórico e artístico nacional ainda em 1959, antes mesmo da inauguração de Brasília.

Hospedou pioneiros como Israel Pinheiro, Bernardo Sayão e Ernesto Silva, além de personalidades importantes, como Tom Jobim, Vinícius de Moraes e Dilermando Reis. A ambientação do museu abrange móveis e objetos originais além de outros itens de época.