EnglishJapanesePortugueseSpanish

Cabeça d’água ou tromba d’água?


%name Cabeça dágua ou tromba dágua?

Saiba a diferença e veja as dicas para evitar o risco de acidentes durante o seu passeio pela natureza.

Um assunto muito importante, principalmente para esse período de pandemia que muita gente tem procurado refúgio na natureza.

Para começar vamos explicar os termos.  Cabeça d’água ou tromba d’água?

Em algumas regiões, as cabeças d’águas são popularmente conhecidas como trombas d’água. O ICMBio, órgão federal que administra os parques nacionais, costuma usar a expressão tromba d’água em guias e folhetos destinados a turistas que visitam essas áreas.

Mas na meteorologia a expressão tromba d’água se refere a um fenômeno climático distinto, que consiste na formação de colunas de água que lembram tornados sobre mares ou lagos.

E o que fazer para não ser uma vítima da natureza?

Seguindo algumas orientações básicas de segurança, é possível antecipar, prever esse tipo de fenômeno e evitar acidentes. Confira as dicas do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal.

– Evite a visitação em cachoeiras em dias chuvosos, principalmente se o local tiver histórico de acidentes ou registro de cabeças d’água;

– Sempre analise a previsão do tempo na região;

– Quanto mais isolada e de difícil acesso for a cachoeira, maiores deverão ser os cuidados;

– Evite exibicionismos (saltos, escaladas, etc);

– Não se arrisque por uma selfie. Avalie o risco do local antes da fotografia; sua vida vale mais que uma foto perfeita!

– Estabeleça uma rota de fuga prévia, ou seja, estude o local antes;

– Mantenha seus pertences organizados saída e próximos a rota de fuga, de modo a permitir uma rápida se for necessário;

– Monitore a incidência de chuva na cabeceira do rio; se possível procure saber a nascente do lugar onde for visitar;

– Estabeleça pontos de referência para avaliar o nível da água; pode ser a vegetação ou uma pedra para medir a altura e volume da água;

– Observe a mudança na cor da água ou a chegada de detritos e sedimentos, como folhas, galhos ou lama;

– Tenha um apito e combine com os demais o padrão de alarme; prática muito usada pelos praticamente de turismo de aventura;

– Nunca dê um falso alarme, na natureza não se deve fazer brincadeirinhas, pois você pode perder a credibilidade e não ser levado a sério quando realmente tiver em perigo;

– Nunca entre na água para salvar alguém se você não tiver técnica, o ideal é procurar um lugar seguro e estender um galho ou uma corda, não seja uma vítima por causa de desespero.

– Se for surpreendido pelo aumento repentino da água, ligue imediatamente para os bombeiros e procure um lugar alto para se abrigar;

– Sempre deixe alguém ciente do seu passeio, localização e hora de retorno, pois se for preciso realizar um resgate, seja por acidente ou mesmo se você se perder na trilha ou ficar ilhado, é mais fácil sabendo a hora de saída e o ponto de referência;

A natureza é linda e maravilhosa. Uma trilha e um banho de cachoeira são revigorantes, mas tudo tem que ser feito com muita segurança.

Já deu vontade de correr para cachoeira, né?

Então anote essas dicas e compartilhe com todo mundo que adora curtir uma cachoeira. Vamos juntos para a campanha #cachoeirasseguras

Emergência: Ligue 193 (Plantão 24 horas)

Bora?  Vem com a Janna.

Crédito: Arquivo pessoal

 

%name Cabeça dágua ou tromba dágua? %name Cabeça dágua ou tromba dágua? %name Cabeça dágua ou tromba dágua? %name Cabeça dágua ou tromba dágua?

Por: visitebrasilia
Data: 24/02/2021


Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!