EnglishJapanesePortugueseSpanish
19.08.2020

CANTORA IZABELLA ROCHA LANÇA SINGLE “O CARCARÁ E A ROSA”

capa álbum designer João Gabriel Jack CANTORA IZABELLA ROCHA LANÇA SINGLE “O CARCARÁ E A ROSA”

Álbum Bella, trabalho com pegada jazzística da cantora brasiliense, começa a ser apresentado em 18 de maio 

O projeto era ter realizado um show, em maio, no espaço Cultural da Casa Thomas Jefferson para lançar o Álbum Bella, o primeiro da cantora Izabella Rocha explorando o que ela batizou de “jazz e afins”. “Veio a pandemia e com ela a necessidade de parar e repensar. Tudo é aprendizado, é vivência, é oportunidade e no final a música sempre encontra o seu jeito de fluir. Então, optamos pelo formato dos lançamentos segmentados, apresentando um single por mês. Assim, não represamos mais aquilo que temos tanta vontade de compartilhar e vamos ganhando tempo, esperado um momento oportuno e seguro de nos reunir com o público”, conta a artista. Para começar a descortinar Bella, Izabella escolheu a canção “O Carcará e a Rosa”, um os maiores sucessos de Natiruts, banda na qual começou sua caminhada musical, nos anos 90. A partir de 18 de agosto, a música estará disponível nas principais lojas digitais do planeta.

São quase 24 anos de carreira e 10 álbuns inéditos: 5 álbuns com o Natiruts, 3 com o Innatura e 2 solo. Para mim é emblemático começar por “O Carcará e a Rosa”. Essa música completou 20 anos. Foi hit do segundo CD do Natiruts, “Povo Brasileiro” (1999), composta pelo Alexandre Carlo. Eu quis fazer uma homenagem a essa época, que foi muito legal, onde a banda se consolidou após o grande sucesso do disco de estreia. A nova versão tem arranjos do Renato Vasconcellos, uma onda pop soul com batida inspirada na Erykah Badu, cantora norte-americana que eu amo e é grande inspiração”, explica.

Conhecida do grande público como uma das fundadoras do Natiruts, Izabella vem trilhando outros caminhos para além do reggae desde 2007, primeiro com o projeto InNatura, e, em seguida, sua estreia na carreira solo em 2016, com o álbum Gaia. Atualmente, ela vive o que considera a plenitude da sua estrada musical. “A música sempre me realizou e fui muito feliz em todas essas fases com os trabalhos, as experiências musicais e as vivências que me transformaram e me nutriram de várias formas. Desde Gaia eu já vinha lapidando o meu estilo, somado às minhas experiências como mãe e mulher. Mas hoje, pela primeira vez, sinto que encontrei musicalmente uma maneira muito sincera de me expressar. A realização só cresce dentro de mim”, afirma Bella.

Apesar dos novos timbres e referências, sobretudo influenciada pela diva Billie Holliday, Izabella não foge de suas origens. Ao contrário, as evidencia e homenageia. No álbum de nove faixas, entre material autoral e versões para canções de Natiruts e InNatura, o repertório visita Bob Marley, Luís Carlinhos, Rogê, Tonho Gebara, João Suplicy, Billie Holiday, standards do jazz e gypsy jazz autoral. Soma-se à delicadeza de sua voz, uma sofisticada e, ao mesmo tempo descontraída presença de palco. A mulher dona de si também traz em si a menina do reggae, conferindo personalidade à performance.

O novo álbum conta com arranjos do pianista Renato Vasconcellos e tem como ponto de partida o show “Blue Moon”, que Izabella Rocha apresentou ao longo de 2018 e 2019, interpretando canções clássicas que resgatam as blue notes nascidas em New Orleans, com um toque de Reggae, Bossa Nova, Samba e Soul Music. Para apresentação do trabalho, ela se cercou de feras como Dido Mariano (baixo acústico e elétrico), Misael Barros (bateria), Moisés Alves (trompete), Eudes Carvalho (guitarra), Felipe Portilho (Teclados) e Renato Vasconcellos (piano e teclados).

“Bella” também conta com as participações especiais de Bruno Medina (saxofone), Márcio Marinho (cavaquinho) – na música “Agora ou nunca”. –, Oswaldo Amorim (baixo), Lourenço Vasconcellos (vibrafone), Leander Motta (bateria) e Paulo André (violão) – em “Beautiful Love” –, Kiko Péres (violão) e Ademir Junior (clarineta) – em “Carta pra Ele” –, Juninho Di Souza (guitarra) – em “O Carcará e a Rosa” –, João Suplicy (voz e guitarra)– em “Ansiedade” – e da filha Gabriela Dourado, dividindo os vocais em “God Bless the Child”.

CARREIRA

Izabella Rocha foi uma das fundadoras da banda de Reggae Natiruts, uma das principais bandas do Brasil, surgida em 1996. Como backing vocal e cantora, ela gravou cinco discos de estúdio – “Nativus” (1997), “Povo Brasileiro” (1999), “Verbalize” (2001), “Qu4tro” (2002) e “Nossa Missão” (2005) – e fez centenas de shows pelo país.

Em 2006 saiu em busca das raízes musicais e, no ano seguinte, criou – ao lado de Bruno Dourado (percussão) e Kiko Péres (guitarrista), também ex-integrantes do Natiruts – o grupo InNatura, com o qual gravou mais três álbuns: o ao vivo “Um Artista Brasileiro” (2007, lançado em DVD), “Bossa Ragga” (2010) e “Innatura 3” (2013).

Com a maternidade – ela é mãe de Gabriela, Rafael e Elis –, Izabella Rocha entrou em contato profundo com o feminino e percebeu sua ligação com a natureza do planeta Terra, verdadeiro útero para toda a vida como a conhecemos. Esta foi a base de “Gaia”, o primeiro disco solo e autoral, lançado em 2016, celebrando seus 20 anos de carreira, como trilha sonora do documentário de mesmo nome, narrado por ela, dirigido por Douro Moura, e gravado em Brasília e na Chapada dos Veadeiros (GO). As letras foram inspiradas pelo sagrado feminino e a mãe natureza.

Em 2020, Izabella Rocha volta com o segundo álbum solo, “Bella”, onde mescla influências do Jazz, Reggae, Soul, Samba Jazz e Bossa Nova, entre versões diversas e músicas inéditas.

Canais IZABELLA ROCHA

YouTube: Izabella Rocha

Instagram e Facebook: @IzabellaRochaOficial

Spotify: Izabella Rocha

Fonte: Donna Mídia Comunicação

Cidade
Data
Adultos
Crianças
Bebês

Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!