EnglishJapanesePortugueseSpanish

Cidade céu


Passeios, fotos, adrenalina e curiosidades: formas de apreciar o céu de Brasília, sua mais bela atração

Reportagem de Álvaro Couto, Patrícia Santos, Giovanna Wobeto e Adriely Karina*

Enquanto os cartões postais de antigas capitais ficam dentro de museus, parques ou até entre grandes edifícios, o de Brasília fica bem evidente. Quem chega na capital federal logo o nota, podendo inclusive chegar por ele: seu céu. Com suas avenidas abertas, arquitetura e árvores baixas, a capital federal é toda um convite para olhar para cima e apreciar a manta de nuvens, planetas e estrelas que lhe cobre.

Para uma metrópole também conhecida por seus traços que remetem a uma cidade avião, nada mais justo que tivesse um céu para acompanhá-la. Não se esperava, talvez, que tamanha beleza, independente da hora do dia, levantasse a questão se Brasília é uma cidade que não se sabe se é museu a céu aberto, ou céu aberto num museu.

É para apreciar tamanha beleza que dá cor e iluminação ao planalto central, que trouxemos este texto. Aqui você vai descobrir o que faz do céu de Brasília tão especial, na palavra de especialistas sobre o assunto. Vai encontrar sugestões de esportes aéreos para curtir de pertinho o céu da cidade. Se preferir ficar em terra firme, também vai ter dicas de local para desfrutar uma bela manhã sob o céu da capital e, ainda, orientações para tirar as melhores fotos e fazer os melhores vídeos para capturar a essência do vitral cósmico candango.

Confira tudo isso abaixo, regado de imagens para ilustrar!

O céu candango e suas nuances

Você já parou para contemplar as belezas do céu de Brasília? Se sim, pode ter pensado: “Como é formado esse festival de cores?” ou “Que pôr do sol bonito!” De fato, o pôr do sol e o céu de Brasília dificilmente passam despercebidos. É muito possível apreciar fenômenos espetaculares no famoso céu de Brasília e “bater palmas” para o sol quando ele está se pondo, celebrando o final de mais um dia.

Mas, afinal, quais são os fatores responsáveis para que a população brasiliense e seus visitantes consigam observar tantas cores? Além disso, existe época ou estação do ano que seja mais indicada para admirar essa beleza?

O diretor técnico do Clube de Astronomia de Brasília (CasB), Maciel Bassani Sparrenberger, começa explicando: “Eu diria que Brasília é que facilita vermos o céu, pois os prédios em geral são baixos e espaçados, não obstruindo tanto a visão como acontece em muitas cidades grandes”.

Antes da pandemia, o CAsB realizava observações abertas ao público na Praça dos Três Poderes, considerado um local de fácil acesso e seguro, mesmo à noite. Segundo Maciel, outro local bom para observar o céu – por causa do horizonte muito aberto – é a Praça do Cruzeiro, no eixo monumental. “Muita gente vai lá ver o pôr-do-Sol”, indica o especialista.

 

ceu de brasilia01 Cidade céu A Praça dos Cristais, localizada no SMU, também
é uma opção para assistir ao pôr-do-sol. Foto: Giovanna Wobeto

“A latitude de Brasília – apenas 16 graus do Equador – também nos proporciona a visão de uma faixa maior do céu. Quase todas as constelações são visíveis em algum momento do ano. Na Linha do Equador é possível ver o céu inteiro ao longo dos meses, ao passo que nos polos se vê sempre a mesma metade do céu”, complementa o diretor técnico do CasB.

Quando o assunto é o céu de Brasília à noite, Maciel traz uma análise técnica: “Infelizmente, a iluminação pública da cidade é mal projetada, muitas lâmpadas são instaladas inclinadas, o que provoca o fenômeno conhecido como poluição luminosa. Parte da luz, ao invés de iluminar o chão, vai para o céu e para o rosto de quem está observando, ofuscando muitas das belezas naturais celestes.”

O apaixonado por astronomia sugere: “Para observar o céu como ele é, com milhares de estrelas, a Via Láctea, e podendo ver também cometas, nebulosas e galáxias, devemos nos afastar da cidade. Afastar muito. Procurar uma fazenda, hotel-fazenda ou propriedade rural que seja no meio do nada, ao menos 100 Km de Brasília e longe de qualquer cidade pequena ou média. Não é fácil encontrar locais assim e com infraestrutura para hospedagem, mas nós [membros do Casb] costumávamos fazer alguns encontros de observação em pousadas na região da Chapada dos Veadeiros. Nas redondezas de Brasília ainda é o local mais indicado”. E ele ainda faz a observação de dar preferência pelas noites de Lua nova, pois ela também clareia o céu.

Maciel afirma que o clima – por ter uma estação seca bem definida – também os ajuda a programar eventos de observação celeste, pois garante previsibilidade: “Com meses seguidos de poucas nuvens, é possível ver as mudanças na posição aparente das estrelas e planetas ao longo dos dias e meses”.

A época da seca em Brasília – que vai de maio a setembro – também propicia um cenário diferente no período noturno: “Como na seca a gente tem o céu sem nuvens, dá para apreciar muito bem as estrelas. Para quem gosta de observar as constelações, os cometas que passam, a lua cheia, aquele espetáculo da lua duas vezes maior, é muito lindo de se ver, é um momento único”, afirma o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Mamedes Luiz Melo.

E já que foi tocado no assunto “clima”, Mamedes pode falar com propriedade: “No período seco ou no chuvoso, existem espetáculos à parte. Eu sou muito apreciador, principalmente do pôr do sol no período seco, que tem aquele céu avermelhado ao longo do horizonte no final do dia.”

 

ceu de brasilia02 Cidade céuO “avermelhado” citado pelo meteorologista colore o céu dos brasilienses.
Foto: Giovanna Wobeto.

E ele explica a causa da vermelhidão que vemos no céu: “Na época da seca há muita poeira suspensa na atmosfera e como nesse período têm poucas nuvens, quando os raios do sol começam a ficar mais distantes ou mais na horizontal com a Terra ocorre aquele reflexo vermelho que compõe na verdade o arco-íris. Então, é um raio que está mais distante e que contém essa coloração vermelha e, junto com a poeira suspensa no ar, dá aquela tonalidade bonita que a gente vê no final do dia.”

Mas um céu nebuloso também traz suas belezas e encantos: “Agora, no período chuvoso, eu acredito que tenham mais fenômenos para se apreciar em termos de meteorologia. Há muitas nuvens, então, quando o sol aparece entre elas em um momento que não tenha nenhuma frente fria atuando, ficam aquelas partes com raios solares e aquelas partes com nuvens, que formam praticamente um quadro muito bonito a ser apreciado”, exemplifica o meteorologista, que complementa: “Por estarmos em um lugar alto é ótimo para apreciar os fenômenos meteorológicos que acontecem no céu de Brasília.”

 

ceu de brasilia03 Cidade céu Os raios de sol entre nuvens também são um
espetáculo à parte. Foto: Giovanna Wobeto/Octogonal.

Uma coisa é certa: não é preciso ser especialista para apreciar e se encantar pelo curioso e peculiar céu candango. E, como disse Mamedes: “Existe muita coisa bonita aqui pelo céu de Brasília, basta a gente começar a parar e olhar para ele e ficar apreciando, monitorando, observando.”

*Reportagem produzida na disciplina Jornal Laboratório II, do curso de Jornalismo do IESB, sob a supervisão da professora Luciane Agnez.

Por: visitebrasilia
Data: 28/05/2021


Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!