EnglishJapanesePortugueseSpanish

Espaço Renato Russo exibe xilogravuras e resistência


%name Espaço Renato Russo exibe xilogravuras e resistência

O Espaço Cultural Renato Russo (ECRR), na 508 Sul, equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), abre duas exposições na sexta-feira (24.9). O artista potiguar Valdério Costa apresenta 30 xilogravuras, entre matrizes e gravuras impressas. Na exposição multimídia “Belarus: A democracia tem rosto de mulher”, o público terá contato com a resistência feminina no país da Europa oriental em 53 fotos, pelas lentes de três mulheres e dois homens, uma instalação e dois documentários.

XILOGRAVURAS

Valdério explica que a xilografia é uma técnica muita antiga de reprodução de imagens impressas a partir de matriz em madeira entalhada, na qual o alto relevo faz o entintamento no papel ou em outro suporte. “É uma linguagem artística que requer o conhecimento de desenho, a precisão no entalhe e o domínio da impressão, que pode ser feita com uma prensa ou com a pressão de materiais diversos”.

Graduado em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília (UnB) e professor de Artes Visuais e História da Arte da Secretaria de Educação do DF, o também poeta defende que a xilogravura é uma arte autônoma, ainda que seja frequentemente associada à literatura de cordel.

“Uma frase atribuída a Tolstói afirma que, quando você representa a sua aldeia, evoca o universal. Creio que a minha produção artística é a representação da minha aldeia. Ela está nas minhas recordações da infância, nas histórias e músicas que ouvi, nos livros e cordéis que li, nas imagens que guardo. Minha aldeia é o mar, o sertão e a urbe também”, poetiza.

MULHERES E RESISTÊNCIA

Fotos mostram mulheres de várias idades perfilando-se diante de carros blindados, brandindo ramos de flores para militares de máscaras. A produtora Anastasiya Golets, em Brasília para montagem da exposição, explica que, em seu país, não há nenhum dispositivo legal que proteja as mulheres contra a violência doméstica, como a Lei Maria da Penha aqui.

O documentário “As irmãs de protesto”, com 45 minutos (classificação 12 anos), de uma revista independente, registra monólogos de mulheres de diferentes extrações sobre a atitude, combatida pela repressão militar, de não permanecer em silêncio diante da privação de seus direitos básicos.

“Gaudeamus”, outro documentário (46 minutos, 16 anos, de um coletivo de estudantes de direito), que quer dizer “alegremo-nos”, fortalece o slogan de estudantes recortado de uma antiga canção em latim. O filme mostra como eles e elas lutam pelo direito de viver em um país democrático.

Complementa o manifesto artístico a instalação “A cela”, em que o artista e fotógrafo Andrey Anro busca reproduzir o ambiente nas prisões. “Você conhecerá os rostos e as histórias dos mais de 600 presos políticos belarussos e poderá deixar uma mensagem em frases nos cartões postais que forneceremos e, posteriormente, enviaremos para elas e eles”, prometem os organizadores.

O curador da exposição, Luca Bonacini, afirma que “as mulheres foram quem, com sua presença maciça, desencadearam um movimento popular e pacífico contra um regime que resiste há mais de 25 anos. As fotos mostram mulheres que, de branco, saem às ruas com flores na mão e sorrisos no rosto, suas únicas armas.”

ESPAÇO CULTURAL RENATO RUSSO

508 Sul

“EXPOSIÇÃO VALDÉRIO COSTA”

Galeria Parangolé

“BELARUS: A DEMOCRACIA TEM ROSTO DE MULHER”

Galeria Rubem Valentim

De 24/09 a 31/10

De sexta a domingo, das 10h às 16h

Mais informações: (61) 3244-0411, 3244-0486 e 3244-5751

Entrada gratuita

Fonte: Ascom/Secec

Fotos: Divulgação

Por: visitebrasilia
Data: 21/09/2021


Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!