EnglishJapanesePortugueseSpanish
18.07.2019

FESTIVAL QUANDO AS RUAS CHAMAM CHEGA À QUINTA EDIÇÃO

DSC0131 2 1024x683 FESTIVAL QUANDO AS RUAS CHAMAM CHEGA À QUINTA EDIÇÃOO evento coloca Ceilândia no mapa do breaking nacional e celebra a cultura hip-hop.

O festival Quando as Ruas Chamam vai agitar Ceilândia entre 23 e 25 de agosto. A quinta edição do evento volta a fazer da nona região administrativa do Distrito Federal a capital de dança de rua do país. Desta vez, o festival traz para o celeiro cultural do Distrito Federal exposição de jaquetas grafitadas e de fotografias, workshops de graffit e breaking e muita música com DJ’s e MC’s. No decorrer dos três dias, a ordem se inverte e o Plano Piloto parte para a Ceilândia em busca de arte. A periferia pauta o centro.

Nos moldes dos anos anteriores, Quando as Ruas Chamam, promovido pelo Fundo de Apoio à Cultura, busca não somente abarcar as competições, mas, igualmente, gerar visibilidade aos artistas participantes. Acima de tudo, quebrar paradigmas sociais que restringem o breaking a uma cultura de gueto. Nas outras edições, o festival contou com forte participação popular, contabilizando cerca de mil pessoas por dia de evento. Além disso, foi duas vezes campeão do prêmio de Breaking Latino Americano como melhor evento, tanto pela curadoria quanto pelo voto popular.

“Este ano, como diferenciais destaque para a exposição de jaquetas grafitadas e ações formativas, como workshops e uma oficina de break e outra de grafite ministrada por um artista de Santa Catarina, com o intuito de disseminar a arte para pessoas que tenham interesse em aprender”, explica Alan Jhone, criador do festival.  O evento conta, ainda, com a participação de dançarinos e artistas de diversos estados brasileiros e até de outros países.

O início

O Quando as Ruas Chamam foi idealizado e fundado pelo dançarino Alan Jhone, que atende pelo nome de bboy Papel. Alan começou a dançar nos meados dos anos 90 e, tinha bastante dificuldade em encontrar eventos com espaço para a dança de rua, na cidade. “Quem era aqui de Brasília tinha que se deslocar e ir para outros estados para poder competir nos grandes eventos. Então, sempre almejei realizar algo dentro da nossa cidade”, revelou o dançarino.

Este obstáculo despertou em Alan a ideia de movimentar a cena para que os dançarinos da região tivessem a oportunidade de competir sem precisar sair do local onde vivem. “Faltava, de fato, uma plataforma que desse projeção para a galera desse nosso segmento. Sempre ficávamos a mercê de outros festivais que não davam acessibilidade para o nosso estilo de dança (break)”, afirmou.

A partir de então, Alan criou o “Quando as Ruas Chamam”, um espaço aconchegante, de acolhimento, que valoriza a dança de rua, com estrutura de qualidade. A Ceilândia foi escolhida por ser o caldeirão de talentos do Distrito Federal. O intuito foi também descentralizar a cultura e atrair a atenção para a periferia. “A Ceilândia respira hip-hop. Com isso a gente tira o aglomerado de cultura das grandes cidades, dos grandes centros e traz para as regiões administrativas, para onde os artistas nascem de fato”, revelou o produtor.  Hoje o festival tem grande repercussão no Brasil, principalmente entre as pessoas que vivem a dança de rua.

Seletivas

Durante o festival, acontecerão as finais do concurso nacional de dança de rua, com participantes classificados a partir de seletivas realizadas em cinco estados brasileiros. As seletivas de Manaus e Goiânia já aconteceram. Em 20 de julho será a vez da seletiva de São Paulo e, no dia seguinte, no Espírito Santo. “Antes das finais ainda realizaremos mais uma seletiva, a de Brasília, em 10 de agosto”.

Os artistas que têm a oportunidade de participar das finais do festival conseguem alcançar novos patamares na carreira como dançarinos. “Hoje o projeto é como uma catapulta. Os dançarinos que participam acabam ganhando certa projeção e recebendo convites para participar de outras plataformas, de outros festivais”, falou Alan Jhone.

 SERVIÇO:

Festival Nacional de Breaking “Quando as Ruas Chamam” 5ª edição

Data: 23,24 e 25 de agosto

Local: Sesc Ceilândia

Endereço:  QNN 27 Área Especial Lote B – Ceilândia Norte

www.quandoasruaschamam.com.br

23/08 – 14h30

Exibição dos vídeos “Quando as Ruas Chamam” e bate papo com artistas convidados

 24 e 25/08 – 13h

Batalhas Nacionais em 09 modalidades

Exposição de Jaquetas Grafitadas “Jackart” – A Time to Speak de Wagner Wagz – Santa Catarina – SC

Workshops de Grafitti e Breaking

Exposição Fotográfica das edições anteriores

Jurados:

Ratin – Killa Rockers – SP

Onnurb – Funk Fockers-  SP

Nathana – We Can do It – MG

DJ’s:

Pow – SP

Conrado – SP

Flip Jay – CE

MC:

Rodrigo – OKZ – GO

Show:

Groove Attak

Entrada Gratuita

Classificação Livre

Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!