EnglishJapanesePortugueseSpanish

Igreja pioneira


%name Igreja pioneiraParóquia Nossa Senhora do Rosário de Pompéia. (Foto: Dênio Simões / Agência Brasília)
Reportagem: Brenda Freitas, Flávia Lima e Giovanna Ribeiro

A Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, também é conhecida como Igrejinha da Vila Planalto. Sua edificação de madeira é considerada um dos monumentos da cidade e foi tombada como Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) desde 1998.

Foi uma das obras iniciais realizadas pelos pioneiros dos acampamentos que deram origem à Vila Planalto. A capela chegou a sediar a Catedral Metropolitana de Brasília até 1970, ano da inauguração da matriz, na Esplanada dos Ministérios.

Moradora da Vila Planalto desde 1969, Maria da Conceição Aparecida Ferreira, irmã do bispo auxiliar de Brasília, dom Marcony Ferreira, se dedicou aos cuidados da matriz da Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Pompéia.

  • Por quem foi fundada a Paróquia e quando isso ocorreu?

A Paróquia é uma comunidade viva e atuante da Igreja Católica na arquidiocese de Brasília. O primeiro templo da Igreja Matriz na Vila Planalto, ainda Capela nossa Senhora do Rosário, foi uma das primeiras obras realizadas pelos pioneiros de Brasília, instalados nos acampamentos que deram origem à Vila, e foi erguido no dia 5 de maio de 1959.

Iniciativa de Frei Marcos Lacerda de Camargo, primeiro Vigário da Vila Planalto, enviado para cuidar dos passos iniciais da Igreja Católica Apostólica Romana na nova capital do país, foi construída em uma noite, de forma provisória, a fim de se evitar, com o armazenamento da madeira, possíveis furtos. A estrutura da obra seguiu o modelo de templo religioso da época nos acampamentos originais da Vila: um campanário, um cruzeiro, acesso principal e, nos fundos, um apartamento para habitação do padre.

  • Quando ocorreu o tombamento da igreja?

Em 1988, Brasília e a Vila Planalto foram tombadas como Patrimônio Histórico do Distrito Federal, por meio do decreto 11.079 do Governo. No conjunto original, tombou-se também a Capela de Nossa Senhora do Rosário de Pompéia por ser uma das construções públicas de madeira.

Finalmente erguida paróquia, pelo Decreto 07/89, do Cardeal Arcebispo de Brasília, D. José Freire Falcão, no dia 02 de abril de 1989, Padre Ítalo é nomeado primeiro pároco.

  • Quando ocorreu o incêndio?

Passados 32 anos de sua construção, a estrutura do templo já começava a sofrer com o desgaste natural. Em janeiro de 2000, atendendo ao pleito do padre Ítalo, a Defesa Civil constatou o rebaixamento do forro do teto em vários pontos, telhado em situação precária e o revestimento externo de madeira com deteriorações expostas. O órgão recomendou, em caráter de urgência, a realização de um estudo minucioso, para detectar o serviço de restauração mais apropriado. Porém, na madrugada do dia 5 de março de 2000, por volta da 1h45min, um incêndio destruiu a Capela. O Corpo de Bombeiros chegou quando já não era mais possível conter as chamas. Não houve vítimas, pois era madrugada e a igreja já estava interditada.

  • Como foi a reação dos moradores quando ocorreu o incêndio?

Foi grande a comoção de todos os moradores da Vila. Católicos e não católicos, todos, atônitos, tomados de grande tristeza com a trágica notícia ao amanhecer daquele dia, não acreditavam no que aconteceram… Os católicos, sentiram-se meio órfãos a partir daquele dia 5 de março de 2000. Quatro dias depois, chegou-se a instaurar um inquérito para apurar o fato, pois havia denúncias de que o incêndio teria sido criminoso. Mas, sem nada concluir, o inquérito foi arquivado no ano seguinte.

  • Enquanto o período de reconstrução ocorria, onde aconteciam as celebrações?

A partir daí, todas as atividades pastorais da Paróquia passaram a ser realizadas provisoriamente no Parque de Ação Pastoral (PAP), uma área cedida para a paróquia no lote 2 do conjunto Fazendinha, na Vila Planalto. Entretanto, novo desafio se apresentou, pois, por ser também tombado pelo Patrimônio Histórico (DEPHA), o local não poderia ser reformado, embora necessitasse bastante. Assim, em novembro de 2003, o PAP também foi interditado, e as missas passaram a ser celebradas na Escola Classe e na Creche da Vila Planalto.

Em protesto pela morosidade do Governo do Distrito Federal em liberar o terreno prometido para construção do novo templo, ao lado do Clube da Aeronáutica, em março de 2004 foi celebrada uma missa ao ar livre. Tudo improvisado, debaixo de uma lona: o altar foi colocado sobre madeiras, o microfone funcionou com a bateria de um carro, e os tradicionais bancos da igreja deram lugar a cadeirinhas de ferro. A partir de então, as missas de sábado e domingo passam a ser celebradas sob uma tenda às 17h. E foram várias as ações da comunidade no sentido de reformar o PAP e reconstruir a igreja matriz.

  • Quanto tempo levou a reconstrução? Foi reconstruída igual ao projeto original?

Em 2006, decidiu-se que a matriz seria construída no mesmo terreno da anterior, com recursos da União, do governo do DF e doações dos moradores da Vila. Iniciaram-se, assim, as obras da nova matriz, finalizada no ano seguinte, mas com projeto já bastante diferente do original, que já havia sido alterado, e foi destruído pelas chamas.

Reportagem de Brenda Freitas, Flávia Lima e Giovanna Ribeiro.
Trabalho desenvolvido na disciplina Laboratório de Jornalismo II, do curso de Jornalismo do IESB, sob supervisão da profa. Luciane Agnez.

 

Por: visitebrasilia
Data: 10/03/2021


Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!