EnglishJapanesePortugueseSpanish
16.07.2019

MANASSÉS DE SOUSA COMPLETA 65 ANOS DE IDADE COM SHOW QUE MARCA SUA TRAJETÓRIA

%name MANASSÉS DE SOUSA COMPLETA 65 ANOS DE IDADE COM SHOW QUE MARCA SUA TRAJETÓRIA

Dos 65 anos de idade, 61 são dedicados a dedilhar cordas de forma magistral. Para comemorar a data icônica, Manassés faz show diferenciado nesta quinta feira, 18 de julho. Do Ceará ao lago Paranoá traz ao palco o saudosismo que o músico possui de sua terra natal e permite que Manassés comemore seu aniversário fazendo o que mais gosta na vida: música.

“Do Ceará ao lago Paranoá”. Este é o nome do show de aniversário que Manasses de Sousa apresenta nesta quinta feira, 18/07, a partir das 20 horas, a beira do lago no quiosque da APCEF – Associação dos Servidores da Caixa Econômica Federal, no Setor de Clubes Norte. Com mais de 15 CDs e DVDs autorais, nesta apresentação o instrumentista internacional, não apenas vai “passear” por sua discografia, como demonstra o apreço por sua terra natal levando ao palco artistas cearenses de renome no Brasil e no exterior. O violoncelista Ocelo Mendonça, os violonistas João Marinho e Marcílio Homem, a violista e cantora Myrlla Muniz, os cantores e compositores Paulo Façanha e Aparecida Silvino e o cantor Silvino Filho. Ao grupo soma-se mais um cearense: o baterista Pedro Almeida, que junto, com o baixista Igor Diniz, comanda a base musical de todo o show.

O repertório não poderia fugir da pegada nordestina e desfila pérolas de autoria do Belchior, Ednardo, Fausto Nilo entre outros. Desta forma Manasses vai costurar a memória afetiva do público presente no seu Show “Manasses 6.5: do Ceará ao Lago Paranoá”, que certamente vai cantar junto com os músicos canções imortalizadas pelo mundo afora.

Um pouco sobre Manassés

O multi-instrumentista Manassés de Sousa é artista reconhecido nacional e internacionalmente, já havendo se apresentado e gravado ao lado de nomes da música mundial como Paco de Lucia e Mercedes Sosa, entre outros. No Brasil, já arranjou óperas de Chico Buarque, acompanha Fagner há décadas e desfila uma enorme lista de emblemáticos músicos com quem trabalhou estreitamente como é o caso de Roberto Carlos, Zé Ramalho, Geraldo Azevedo, Elba Ramalho, Gonzaguinha e por aí vai.

Aos quatro anos levou uma surra do irmão mais velho por ser flagrado mexendo em seu violão. Para não apanhar do pai disse que sabia tocar e o pai o desafiou dizendo “se você sabe então toca, mas se não fizer direito vai ficar de castigo”. O menino surpreendeu a todos pois já sabia músicas inteiras. Foi então que o pai o levou para a feira e o colocou em cima de um caixote. Enquanto o garoto tocava o pai passava o chapéu e Manassés disse que nunca tinha visto tanto dinheiro na vida. Em seguida, foram para loja de instrumentos quando o pai depositou toda a quantia no balcão e pediu um bom violão que aquele dinheiro desse para comprar. Este gesto emblemático parece pequeno, mas naquele instante estava selado o destino do então menino: ele nunca mais largou um violão.

Em 2014, “Manasses e seu violão” foi tema de um concurso de poesias promovido pela União Brasileira de Trovadores, que resultou na publicação de cinco volumes com os textos vencedores. Trovas e poesias sobre Manassés e seu violão vieram de 10 Estados Brasileiros, dois países com trovas em língua portuguesa e sete países com trovas em língua espanhola, incluindo França, México, Estados Unidos.

De origem muito humilde, família de 11 irmãos, Manassés, disse que a música salvou sua vida. “Fui sorteado por Deus com a música. A música me levou pelo mundo afora para lugares que jamais sonhei em conhecer. É Deus quem toca meu violão. Minhas composições só podem vir das mãos de Deus”, afirma o cidadão honorário de Fortaleza cujo título foi recebido na câmara legislativa estadual, totalmente desprovido de qualquer vaidade e com muita emoção.

 

Serviço:

Show “Manassés 6.5: do Ceará ao Lago Paranoá”

Quinta feira – 18/07 a partir das 20 horas

Quiosque do APCEF – SCN Trecho 03

Couvert: R$ 20,00

Manasses de Sousa – Viola de 12 cordas, cavaquinho

Igor Diniz – Baixo

Pedro Almeida – Bateria

Ocelo Mendonça- Violoncelo, sax e flauta

João Marinho- violão

Marcílio Homem- violão

Myrlla Muniz- voz

Silvino Filho- voz

Aparecida Silvino- voz

Paulo Façanha- voz

 


Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!