EnglishJapanesePortugueseSpanish

“Minhas mãos, meu cavaquinho” leva aulas de música para dezenas de crianças moradores de bairros da periferia


aula na salinha “Minhas mãos, meu cavaquinho” leva aulas de música para dezenas de crianças moradores de bairros da periferiaDezenas de crianças e adolescentes residentes na Comunidade de Santa Luzia na  cidade Estrutural e na Vila Telebrasília estão recebendo aulas gratuitas de teoria musical e prática de cavaquinho através do projeto “Minhas mãos, meu cavaquinho” idealizado pelo arte educador, Dudu Oliveira do  Ponto de Cultura Waldir Azevedo.

O  músico, há mais de 10 anos, foi quem deu início aos trabalhos da Orquestra de Cavaquinhos de Brasília através do Projeto Social Waldir Azevedo, o qual posteriormente passou a ser um ponto de cultura. Os primeiros integrantes da Orquestra, que iniciaram ainda crianças seus estudos de cavaquinho, hoje são adultos terminando suas graduações, inseridos no mercado de trabalho além de serem músicos. A experiência deu tão certo que Dudu Oliveira investe na renovação dos cavaquinistas e descoberta de novos talentos para integrar a Orquestra.

No momento, além da Vila Telebrasília, os professores ministram as oficinas em um dos locais mais carentes do Distrito Federal; a Vila Santa Luzia. Ao propor uma intervenção artístico musical na comunidade, o projeto possibilita ao aluno uma nova relação com o espaço em que está inserido, estimulando o despertar de relações interpessoais, além de evitar algo muito arriscado nesta realidade: o ócio nocivo.

“Inserir no cotidiano da criança a arte como principal forma de entretenimento, a fim de desviar seu olhar dos perigos do seu meio” é um dos mais motivadores objetivos deste projeto, afirma Dudu Oliveira, que também pretende suprir uma demanda no setor cultural e social, haja visto a carência de propostas artístico-culturais nessas camadas sociais.

Dudu Oliveira-

A fundamentação conceitual do projeto converge com a trajetória de vida do músico Dudu Oliveira. Oriundo de projetos sociais como Afro Regaae e Apanhei-te cavaquinho, Dudu que , durante sua infância e adolescência foi morador de periferia no Rio de Janeiro,  adquiriu valores indispensáveis para a construção do caráter, além de conhecimentos e habilidades profissionais.

O arte educador tomou como ofício transmitir gratuitamente seus saberes adquiridos de forma gratuita e acessível e assim, centenas de aprendizes já passaram pelo Projeto.

Vagas

Ainda há vagas!!! Quem quiser  estudar cavaquinho de forma gratuita e descobrir um novo e revelador universo, basta procurar a equipe do projeto!!

Os interessados devem fazer contato pelo telefone 99699877 (whatssap)

Minhas mãos, meu cavaquinho – horários de aulas

Estrutural

Terça cavaquinho 10h

Quinta teoria musical 14h

Vila Telebrasilia

Cavaquinho quarta 19h

Teoria  quarta 20h

Doações

O projeto disponibiliza cavaquinhos para os alunos estudarem, porém infelizmente não são suficientes. Quem tiver instrumentos usados ou novos, encordoamentos, usados ou novos e puder doar, os professores agradecem e afirmam que serão muito bem utilizados. Lousas e canetas também são bem vindas.

O Minhas mãos, meu cavaquinho possui recursos do Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal e vem sendo executado nas localidades alvo com resposta bem positiva dos alunos. Para Vanessa (12 anos), aluna de Cavaquinho da favela Santa Luzia, “as aulas de cavaquinho tem sido muito bacana, a gente se diverte e aprende a tocar ao mesmo tempo. Também não ficamos à toa na rua” afirma a entusiasta das aulas de Cavaquinho.

Informações: Thais Tosi 9969 9877 e Dudu Oliveira 99622 6533

Imprensa:  Tita Lyra 61 99984 8445

Fotos: Divulgação

Por: visitebrasilia
Data: 21/09/2021


Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!