Brasília em um Único lugar.

03.07.2018

MOSTRA SOBRE BRASÍLIA VAI SER VISTA EM MOSCOU

pós ser visitada por mais de 300 mil pessoas na Espanha, Portugal, Argentina, Chile, Índia, França, Alemanha e Brasil, chega a Moscou (3 a 31 de julho de 2018) a exposição “Brasília – da utopia à capital”, um relato histórico e artístico da epopeia de construção da nova capital brasileira em menos de quatro anos pelo governo do então Presidente Juscelino Kubistchek (1956-1960).

São mais de 300 itens entre fotografias, vídeos, mapas, objetos históricos, maquetes e esculturas provenientes de coleções públicas e privadas reunidas pela curadora Danielle Athaide.

 BRASÍLIA EM MOSCOU

oscar 1024x686 MOSTRA SOBRE BRASÍLIA VAI SER VISTA EM MOSCOUOscar Niemeyer no escritório da Nova Capital.

Após percorrer oito países, a mostra “Brasília– da utopia à Capital” chega a Moscou durante o período em que se comemoram duas importantes datas: a Copa do Mundo de Futebol 2018 e os 190 anos de relações diplomáticas entre Brasil e Rússia.

Com curadoria de Danielle Athayde, a exposição propõe uma viagem no tempo com início em 1751, quando o Marquês de Pombal (em Portugal) cogitou pela primeira vez o projeto de transferência da capital do Brasil para o interior do país.

Fotografias e maquetes mostram a evolução da cidade desde as primeiras construções até a atualidade, numa retrospectiva enriquecida com obras de arte, objetos históricos, documentos e vídeos. “São itens pouco conhecidos pelo público, mas essenciais para o entendimento da formação da nova capital brasileira”, explica a curadora.

COMO CRIAR UMA CIDADEcandangos MOSTRA SOBRE BRASÍLIA VAI SER VISTA EM MOSCOU

Foto/ Rui Faquini_- Os Guerreiros, maquete , Bruno Giorgi

A apresentação deste conjunto numa linha de tempo destaca a história de formação da cidade em detalhes significativos, além de homenagear alguns de seus principais personagens, como o Presidente Juscelino Kubitschek; o urbanista e autor do Plano Piloto da cidade, Lucio Costa; o paisagista Roberto Burle Marx e o genial arquiteto Oscar Niemeyer.

Ao longo do percurso, o visitante irá evidenciar raros registros de fotógrafos que capturaram os primórdios da nova Capital em diferentes momentos. Entre eles, Peter Scheier, Jesco Puttkamer, Fábio Colombini, Marcel Gautherot, Mário Moreira Fontenelle, João Facó, Bento Viana e Rui Faquini. A este conjunto integra-se também maquete de (30 m2) que reproduz Brasília em ampla perspectiva.

A mostra irá ocorrer no Museu de Moscou, na rua Zubovsky boulevard, 2 – Edifício 3, espaço histórico da capital russa. A abertura para convidados será no dia 3 de julho. Para o público, a partir do dia 4 de julho até 31 de julho.

ACERVOS E TALENTOS

 O acervo que compõe esta exposição é originário de nada menos do que sete instituições culturais brasileiras: Arquivo Público do Distrito Federal, Instituto Moreira Salles, Casa Lucio Costa, Fundação Athos Bulcão, Fundação Oscar Niemeyer, Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Goiás e Museu de Astronomia e Ciência Afins (Mast) do Rio de Janeiro.

Além desse significativo conjunto, destaca-se a importante contribuição de obras particulares, com destaque para a Coleção Brasília – acervo Isolete – Domício Pereira.

Entre as peças cedidas por essas instituições, serão vistos desenhos originais de Lucio Costa e cartas trocadas entre os arquitetos Oscar Niemeyer e Le Corbusier, por exemplo. Destacam-se, também, obras do paisagista Burle Marx e de Athos Bulcão, pintor, escultor, azulejista e discípulo de Portinari, um dos principais artistas ao lado de Niemeyer no processo de criação dos projetos dos principais edifícios públicos da nova Capital.

igrejinha MOSTRA SOBRE BRASÍLIA VAI SER VISTA EM MOSCOUFoto/Fabio Colombini- Painel Athos Bulcaão na Igreja N. Sra. de Fatima

É referencial histórico e artístico, também, a exposição de peças da Coleção Brasília – esculturas, obras de arte, objetos decorativos e livros que datam da construção da capital. Obras dos artistas Alex Flemming, Naura Timm e Tarciso Viriato compõem um expressivo núcleo de arte contemporânea.

Alex Flemming

Paulista radicado em Berlim, está presente com três registros fotográficos da Catedral Metropolitana, com intervenção de cor e elementos gráficos.

Naura Timm

Naura Timm é importante artista e gravadora brasileira contemporânea, radicada em Brasília.

Possui uma obra extensa e madura inspirada na simbologia cultural criada pelo nosso inconsciente coletivo. Suas inspiradas criações têm profundas relações com correntes como o Realismo Mágico, além do Surrealismo e do Dadaísmo.

Nesta mostra, ela nos apresenta o conjunto denominado Anima – Memórias da Natureza. São esculturas objetos a partir de raízes de espécies da flora do cerrado brasileiro, coletadas ao longo de duas décadas.

Tarciso Viriato

Viriato (*1950) expressa em pinturas, desenhos e colagens uma narrativa pop atual. Seu poli cromatismo parece absorver a luminosidade do planalto central brasileiro onde está Brasília.

Em 1994, ganhou bolsa-viagem para a Iugoslávia, cujo governo lhe concedeu prêmio pela campanha “Artistas pelas Crianças Refugiadas”. Em 2004, participou do calendário da Cruz Vermelha “Artistas pela Humanidade”.

Realizou exposições no Brasil; Nova Iorque, Versailles – França, Boston e Hungria. Nesta mostra, apresenta o tríptico Labirintos da História.

A MOSTRA

 A exposição é o resultado de uma extensa pesquisa que embasou tese de mestrado defendida em 2009 pela curadora Danielle Athaide na Fundação Ortega y Gasset, sediada em Madri, na Espanha.

Aprovada com louvor, a proposta de uma mostra sobre o fenômeno urbanístico e de arquitetura moderna que é Brasília foi materializada e apresentada na capital espanhola durante o cinquentenário da capital brasileira, em 2010.

Na sequência, o evento – com estrutura modular – seguiu para Lisboa, em Portugal; Buenos Aires, na Argentina; Santiago, no Chile; Nova Délhi, na Índia; Paris, na França; Berlim, na Alemanha e na própria Brasília. Já foi visto por público recorde: cerca de 300 mil pessoas.

Esta edição em Moscou tem parcerias com o Ministério das Relações Exteriores  o Governo de Brasília e a Secretaria de Turismo do DF,  além do expressivo apoio da Embaixada do Brasil em Moscou.

A mostra permanecerá em Moscou do dia 3 até o dia 31 de julho. Há negociações para sua montagem na cidade de São Petesburgo. Após seu retorno ao Brasil, ela deverá percorrer outros Estados.

DESTAQUES

Maquete do Plano Piloto

mapa MOSTRA SOBRE BRASÍLIA VAI SER VISTA EM MOSCOULucio Costa/Plano Piloto de Brasilia

A obra traduz em sua concepção o projeto urbanístico do Plano Piloto de Brasília de autoria do arquiteto Lucio Costa para a construção da nova capital do Brasil.

Definida por uma área de 21×17km, é delimitada em seus quatros pontos cardiais – ao sul, o Aeroporto Internacional JK; ao norte, a nova Torre de TV Digital; a leste, a barragem do Lago Paranoá; e a oeste, a Rodoferroviária.

Com escala de 1:3500, mede 6,00×4,80m. É dividida em 18 módulos iguais de 1,60×1,00m, sendo sua superfície (planta baixa) composta por painéis fotográficos obtidos por imagens de satélite que destacam detalhes do Plano Piloto em alta resolução.

Essas imagens foram capturadas e digitalizadas com suas coordenadas paralelas ao Eixo Monumental do Plano Piloto, facilitando a leitura pelo público. Nas fotos impressas, foi utilizado o processo de tinta pigmentada sobre papel fotográfico (Fine Art). Este papel recebeu acabamento laminado, sendo posteriormente montado sobre um painel de pvc de 2mm e, finalmente, adesivado sobre um chassi de madeira com 7cm de altura. Os chassis, neste caso aparafusados uns aos outros, dão estrutura correta e fidedigna para a montagem final da obra.

Todos os prédios significativos são representados em volume, utilizando-se acrílico de diversas espessuras cortado a laser e acabamento com tinta sintética.

A maquete representa fielmente toda a arquitetura e o urbanismo de Brasília até 2010.  Portanto, neste contexto, pode-se afirmar que é a mais atualizada, proporcionando ao público uma visão mais próxima e real do projeto arquitetônico e urbanístico mais importante do século XX.

Coleção Brasília

coleção brasilia MOSTRA SOBRE BRASÍLIA VAI SER VISTA EM MOSCOU

Foto/ Rui Faquini – Maquete da escultura Rito dos Ritmos-Maria Martins.

 

A coleção particular de Izolete e Domício Pereira será aberta ao público nesta exposição.

O casal participou da construção da nova capital e reuniu uma gama de obras de arte que vão de desenhos de Burle Marx e Athos Bulcão a moedas comemorativas e esculturas de autores como Bruno Giorgi, Alfredo Ceschiatti e Maria Martins, constituindo-se num conjunto dos mais significativos de acervos artístico e histórico do período.

AOS FOTÓGRAFOS

 Peter Scheier

De origem alemã, passou a viver em São Paulo após fugir dos nazistas. Inicia sua carreira como fotógrafo trabalhando em grandes publicações como O Estado de S. Paulo e O Cruzeiro. Depois disso, trabalha como fotógrafo oficial do Museu de Arte de São Paulo (Masp) e faz algumas expedições fotográficas a Brasília. Em 1975, retorna ao seu país natal, onde publica as fotos relativas à capital, presentes na mostra.

Jesco von Puttkamer

trofeu MOSTRA SOBRE BRASÍLIA VAI SER VISTA EM MOSCOU

Foto/ Rui Faquini_Pomba- homenagem a Oscar Niemeyer -Alfredo Ceschiatti

 

Carioca de ascendência sueca, estudou Química na Alemanha até ser preso pelos nazistas e depois liberto pelo exército americano. De volta ao Brasil, tornou-se membro do Departamento de Relações Públicas da Novacap devida a sua boa fluência em idiomas estrangeiros (falava alemão, inglês e francês). Além de fazer registros da construção de Brasília, prestou serviços fotográficos à jornais da capital, criando em seu quintal o que viria a ser um dos primeiros estúdios de fotografia da nova cidade.

Marcel Gautherot

De origem francesa, desembarcou no Brasil ainda nos anos 40 e se apaixonou pelo país. Na década de 1950 foi contratado pela Novacap para registrar o trabalho dos candangos na construção da nova capital.

Além disso, pôde registrar o nascimento dos grandes monumentos da capital, como a Catedral Metropolitana, além de realizar registros curiosos das primeiras turmas presentes na Universidade de Brasília onde as aulas ocorriam ao ar livre o que se traduzia na época por uma das mais revolucionárias propostas de ensino no País.

Mário Fontenelle

Natural do Delta do Parnaíba, no Piauí, Mário chegou a Brasília na época da sua construção. Veio acompanhando a comitiva do presidente Juscelino Kubitschek ainda em 1956.

É dele uma das mais célebres fotografias deste período. Registrou, a bordo de avião, o cruzamento em 90 graus feito por tratores dos hoje eixos Monumental e Rodoviário em forma de Cruz quando não havia nada ainda construído. Na mostra serão vistas fotos inéditas feitas na Capital antes mesmo da sua inauguração.

João Facó

As fotos aéreas da capital foram produzidas por este fotógrafo para a série “Asas de Brasília”. Formado em cinema pela Universidade de Brasília, realizou vários documentários focado em questões sociais e na preservação do meio ambiente.

Fábio Colombini

Formado em arquitetura pela Universidade de São Paulo, é autodidata em fotografia e se especializou em registros da natureza.

Foi convidado a contribuir com seu olhar apurado sobre os belos cenários da Capital. O  resultado será visto em primeira mão no âmbito da mostra.

Rui Faquini

Vive há 58 anos em Brasília. Nos anos 60, conheceu Otto Stupakoff que lhe deu as primeiras lições e grande incentivo para se aperfeiçoar como fotógrafo.

Profissionalizou-se como free lance, documentarista e publicitário, além de publicar mais de dez livros autorais e ser tema em várias exposições individuais no Brasil e no exterior.

AUDIOVISUAL

Durante a exposição, os visitantes poderão interagir com vários recursos audiovisuais.

O primeiro deles evidencia em time line a possibilidade do visitante não apenas ter acesso à história da Capital, como também visualizar o momento vivido àquela época no País.

Na sequência, uma projeção sobre azulejos e desenhos geométricos de Athos Bulcão. Destaca-se também documentário de 16 minutos que registra a saga de uma família pioneira que se propôs, a bordo de um veículo Kombi, conhecer a distante Nova Capital ainda nos primórdios de sua construção.

CATÁLOGO

Para a apresentação da exposição em Moscou, foi editado catálogo bilíngue em Português e Russo.

A edição é relevante pois contextualiza a memória do conteúdo do projeto, proporcionando uma detalhada análise teórica dos fatos, acontecimentos e assuntos nele abordados.

 

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA – FALE CONOSCO
www.brasilia50.info/imprensa
DF: 55(61) 992311403
Danielle Rocha Athaydedanielleathayde@yahoo.com.br

 

Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!