EnglishJapanesePortugueseSpanish

PRIMEIRO OLHAR


Pupila dAgua PRIMEIRO OLHARVII Festival Internacional de Artes Cênicas para a Primeira Infância

De 27 de novembro a 5 de dezembro de 2021

 

Programação conta com apresentações no Espaço Cultural Renato Russo (508 Sul), além de exposições e um encontro latino-americano com profissionais da área

 

Realizado pela Cia. La Casa Incierta, o festival Primeiro Olhar é uma ação consolidada no campo das criações cênicas voltadas para o público entre zero e seis anos (a primeira infância) e seus pais. Idealizado pelo diretor Carlos Laredo e pela atriz Clarice Cardell, o evento retorna em 2021 cumprindo um papel ainda mais importante, dado o longo período de isolamento em casa ao qual as crianças foram submetidas por conta da pandemia de Covid-19 – privadas momentaneamente de manifestações culturais e dos rituais de sociabilidade antes parte do cotidiano.

 

Viabilizada com aporte financeiro do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal, e contemplada no Programa Iberescena, a sétima edição do Primeiro Olhar – Festival Internacional de Artes Cênicas para a Primeira Infância apresenta uma vigorosa programação conectando grupos de artes cênicas do Distrito Federal e artistas latino-americanos de destacada excelência.

 

Entre 27 de novembro e 5 de dezembro serão realizadas 18 apresentações de 12 espetáculos de dança, teatro e música e duas exposições voltadas para o público da primeira infância. Parte da programação é exclusiva para a Creche Cantinho do Girassol, em Ceilândia; e as apresentações no Espaço Cultural Renato Russo (508 Sul) podem ser conferidas pelo público em geral, com lotação de até 50 pessoas em cada uma – respeitados os protocolos de prevenção à Covid-19, com espaço entre os assentos prevendo o distanciamento social. O uso de máscaras é obrigatório. Todas as medidas de segurança estão no Decreto Nº 42.473, de 2 de setembro de 2021 do GDF e nos protocolos do Sesc/DF. Os ingressos custam R$ 20 e R$ 10 (meia) e podem ser adquiridos antecipadamente pelo e-mail: [email protected].

 

A programação conta com criações de grupos locais, nacionais e internacionais: Cia. La Casa Incierta (Brasília/Espanha), Cia. Studio Sereia (Distrito Federal), Grupo Celeiro das Antas (Distrito Federal), Coletivo Criadouros (Distrito Federal), Coletivo Antônia (Distrito Federal), Coletivo Psoas e Psoinhas (Distrito Federal), Grupo Sobrevento (São Paulo), Cia. Teatro Al Vacío (México/Argentina), Amnia Lab Teatro (Chile).

 

A grade de atividades conta também com a Conexão Primeira Infância, um encontro internacional de programadores e artistas, brasileiros e estrangeiros, em mesas e debates sobre criações artísticas para a primeira infância, consolidando o Distrito Federal como um pólo pioneiro nacional no campo das artes para a primeira infância.

 

Além disso, integram a programação uma oficina de criação de brinquedos, com Gandy Piorksy (São Paulo); a exposição Aldeia Adormecida, de Gabriel Guirá (Distrito Federal); e Oficina Provocações Estéticas, com o grupo Amnia Lab Teatro, do Chile, sobre a importância da experiência estética nos primeiros anos da criança.

 

PROGRAMAÇÃO – ESPAÇO CULTURAL RENATO RUSSO (508 SUL):

27 de novembro

10h: Abertura das exposições e oficina/exposição com Gandhy Piorsky e Aldeia Adormecida, de Gabriel Guirá

11h e 16h: PULSAR / Cia Teatro Al Vacío (Argentina/México)

 

28 de novembro

11h e 16h: PULSAR / Cia Teatro Al Vacío (Argentina/México)

 

30 de novembro

15h: ACHADOUROS / Coletivo Criadouros (Brasil)

 

3 de dezembro

15h: BUBUIA / Coletivo Antônia (Brasil)

 

4 e 5 de dezembro

11h e 16h: VOO DE LUZ / Cia Amnia Lab (Chile)

 

 

PROGRAMAÇÃO – CONEXÃO PRIMEIRA INFÂNCIA

29 de novembro

17h: Abertura do Encontro Rede Vincular 2021 / Cia La Casa Incierta (Brasil/Espanha)

 

17h10: A beleza, o mundo e o Plano Nacional da Primeira Infância, com Carlos Laredo – Cia La Casa Incierta / Vital Didonet – RNP

 

18h10: Vincular: uma rede de criação cênica para os primeiros anos na América Latina, com Adrián Hernandéz e José Aguero – Teatro Al Vacío (Argentina/México) e Laura Szwarc – Akàntaros Asociación Cultural

 

30 de novembro

17h: Apresentação das Cias da Rede Vincular

18h: Apresentação da Rede FIBRA e programadores presentes. Mediação: Cirila Targhetta – Coletivo Antônia (Brasil)

 

1º de dezembro

17h: Diálogos investigativos entre as ciências e as artes: bebês nascem poetas?, com Carlos Laredo – Cia La Casa Incierta

 

17h20: Territórios acadêmicos e as artes para bebês: Performance Relacional, com Fernanda Paixão (Brasil)

 

17h40: Publicações e arte para as Infâncias: Revista CBTIJ / Cleiton Echeveste – CBTIJ / ASSITEJ Brasil

 

18h10: Conversa aberta sobre arte e os primeiros anos / mediação: Luiz André Cherubini – Grupo Sobrevento (Brasil)

 

2 de dezembro

16h: Provocações estéticas com os primeiro anos / Amnia Lab (Chile) – curso de três horas 

 

 

PROGRAMAÇÃO – CRECHE CANTINHO DO GIRASSOL (CEILÂNDIA):

 

29 de novembro

15h: CAFÉ FRÁGIL / Cia La Casa Incierta (Brasil/Espanha)

 

1º de dezembro

10h: O FAROL / Cia Studio Sereia (Brasil)

15h: CANTO DO MEDO / Cia La Casa Incierta (Brasil/Espanha)

 

2 de dezembro

10h: PUPILA D’ÁGUA / Cia La Casa Incierta (Brasil/Espanha)

 

11h: O CONCERTO / Grupo Celeiro das Antas (Brasil

14h: AMANA / Coletivo Psoas e Psoinhas (Brasil)

 

3 de dezembro

10h e 11h30: TERRA / Grupo Sobrevento (Brasil)

 

 

ESPETÁCULOS:

 

Pupila d’Água

Cia. La Casa Incierta (Brasília/Espanha)

Direção, iluminação e dramaturgia: Carlos Laredo

Elenco: Clarice Cardell e Fernanda Cabral  

Figurino: Val Barreto  

Música: Queyi e Fernanda Cabral

lacasaincierta.com/por/creation/pupila-de-agua

Um espetáculo histórico de música e teatro, realizado pela companhia La Casa Incierta – que desde 2002, realizou mais de 800 apresentações desde em Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e em cidades de países como Bélgica, França, Espanha, Portugal, Holanda, Itália e Rússia. Pupila d’Água utiliza elementos de canto lírico, percussão com objetos cenográficos e vasos de cristal, além de um repertório de elementos teatrais e de dança. O espetáculo foi o vencedor do prêmio FETEN (2005) na Espanha e recebeu menção de honra pela ASSITEJ (Associação Internacional de Teatro para a Infância e Juventude) no Canadá, por conta de seus caráter inovador. A companhia foi premiada pelo Banco Interamericano Mundial em Washington em 2017 pela relevância internacional de sua obra.

 

Geometria dos Sonhos

Cia. La Casa Incierta (Brasília/Espanha)

Direção, iluminação e dramaturgia: Carlos Laredo

Elenco: Clarice Cardell

Figurino: Val Barreto

Música: Queyi

www.lacasaincierta.com 

A história de uma pedra que queria ser nuvem para poder voar é o caminho poético apresentado em Geometria dos Sonhos.

 

Pulsar

Cia. Teatro Al Vacío (México/Argentina)

Criação: José Agüero e Adrián Hernandez

Paisagem sonora: Camila Romero Lema

Figurino e assessoria espacial: Maurício Ascencio

www.teatroalvacio.com

Um limiar que se cruza, uma experiência que começa pelo toque, uma paisagem que se transforma, se move, cresce, se eleva, soa. Um horizonte que propõe a experiência de estar em relação de se construir e se desconstruir.

 

Voo de Luz

Amnia Lab Teatro (Chile)

Direção e dramaturgia: Natalie Sève

Intérprete: Christian Sève

Desenho integral: Laura Gandarillas.

www.aminialab.com

Uma experiência musical e teatral. A temática se desenvolve em torno das aves migratórias da costa chilena e oferece também uma inspiração visual e conceitual inspirada na obra do artista visual Guilhermo Deisler (1940-195), um dos precursores da arte postal e da poesia visual na América Latina.

 

Terra

Grupo Sobrevento (São Paulo)

Texto, direção, figurino e interpretação: Sandra Vargas

Cenografia e adereços: Liana Yuri e Sueli Andrade

Música: William Guedes

Iluminação: Renato Machado

www.sobrevento.com.br

Uma mulher pisa a terra. Fazia tempo que não sentia a terra em seus pés. Ao senti-la, lembra do carinho que brota da terra. Dela, desenterra os seus segredos, as coisas pequenas de que é feito o amor que cultivamos na terra.

 

Café Frágil

Cia. La Casa Incierta (Brasília/Espanha)

Direção, iluminação e dramaturgia: Carlos Laredo

Atriz e cantora: Clarice Cardell

Objetos cênicos e sussurro artístico: Antônio Catalano 

Figurino: Val Barreto  

www.lacasaincierta.com 

Um espetáculo de teatro de objetos criado a partir do universo do multiartista italiano Antonio Catalano. O espetáculo revela, com um jogo de sombras e objetos, um universo mágico presente no cotidiano de todos.

 

Canto do Medo

Cia. La Casa Incierta (Brasília/Espanha)

Direção: Sandra Vargas

Dramaturgia e intérprete: Clarice Cardell 

Música: Lupa Marques 

Figurino: Val Barreto 

www.lacasaincierta.com 

Usando um grande vestido azul, a mãe fala sobre seus medos e receios. Uma criança na hora da passagem do sono à vigília, a noite, o lobo, monstros, o mar… Diferentes medos que atravessam o mundo do binômio pais e filhos são cantados através de sombras, objetos e canções.

 

O Farol

Cia. Studio Sereia (Distrito Federal)

Direção: Clarice Cardell

Intérprete e trilha sonora: Fernanda Cabral

Figurino: Val Barreto

Dramaturgia: Clarice Cardell e Fernanda Cabral

Texto: Chico Cézar e Lau Siqueira 

Iluminação: Carlos Laredo 

Técnica, fotografia e vídeo: André Amaro.

www.facebook.com/studiosereia.teatroparabebes

Um poema musical que conta a história de uma menina-peixe em busca de sua casa. Nessa aventura, ela é guiada pelas melodias que a acompanham desde seu nascimento: do ar até a água e desta até a terra, quando se transforma em uma mulher.

 

O Concerto

Grupo Celeiro das Antas (Distrito Federal)

Roteiro, direção e atuação: Zé Regino

Técnico de luz e som: Pedro Gabriel

Figurino: Zé Regino e Luziária Oliveira

Cenário e adereços de cena: Zé Regino e Robson Carvalho

Receptivo e mediação: Marcela Regina 

Produção: Ana Paula Martins

O espetáculo traz para cena as aventuras da personagem Zambelê que, brincando com objetos cotidianos, descobre um novo universo de possibilidades, novos usos e uma variedade de sons. Sua grande descoberta é perceber que pode fazer um concerto, com uma música criada coletivamente.

 

Achadouros – Teatro para Bebês

Coletivo Criadouros (Distrito Federal)

Elenco e criação musical: Caísa Tibúrcio e Nara Faria

Direção e figurino: José Regino

Cenografia: Chico Sassi

Iluminação: Marcelo Augusto

Produção geral: Pedro Caroca

www.criadouros.com

O ser humano e sua chegada ao mundo. Vestígios de degradação ou matéria prima para a criação? Um universo a ser desvendado. A percepção de si, do outro, das diversas formas de vida. A construção das relações. O poder imaginativo que leva à transformação e à reorganização da realidade.

 

Bubuia

Coletivo Antônia (Distrito Federal)

Direção: Coletivo Instrumento de Ver

Elenco: Cirila Targhetta, Kamala Ramers e Tatiana Bittar

Dramaturgia: Coletivo Instrumento de Ver e Coletivo Antônia

Cenário e figurino: Roustang Carrilho

Desenho de Luz: Moisés Vasconcellos

Trilha sonora e coordenação técnica: Euler Oliveira

Produção: Kamala Ramers e Tatiana Bittar

www.coletivoantonia.com.br

Com quantos baldes se faz um rio? Pode uma canoa flutuar no liso do ar? Qual o som da coruja quando encontra o eco do sapo no fundo do mato? O balão pode afundar com uma pedra dentro e o vento empurra para as margens de lá. Bubuia é uma investigação de corpos que brincam de quebrar algumas regras da física colocando o que é próprio da água no ar, do ar na terra, e da terra na água.

 

Amana

Coletivo Psoas e Psoinhas (Distrito Federal)

Intérpretes criadoras: Júlia Ferrari, Julieta Zarza, Katiane Negrão e Susana Prado Direção: José Regino

Iluminação: Luciano Porto

grupopsoasepssoinhas.blogspot.com

Amana é uma palavra tupi-guarani que significa água que vem do céu. O espetáculo de dança, para e com bebês de zero a três anos, traz um pouco de nossa ancestralidade, das gotinhas do nosso mar interno às gotas que somos neste mar de possibilidades.

 

OFICINA/EXPOSIÇÃO

Gandy Piorksy (São Paulo)

Uma oficina no campo das artes plásticas na construção lúdica de objetos e brinquedos com mulheres e crianças em situação de exclusão. A oficina será realizada na Casa Abrigo do DF, uma instituição de acolhimento institucional para mulheres vítimas de violência doméstica, familiar com risco de morte, bem como de seus dependentes.

Gandy Piorky é artista plástico, teólogo e pesquisador na área de cultura e produção simbólica, antropologia do imaginário e filosofias da imaginação. No campo das visualidades, discute as narrativas da infância e seus artefatos, brinquedos e linguagens, a partir dos quais realiza exposições e intervenções.

 

Exposição Aldeia Adormecida

Gabriel Guirá (Distrito Federal)

Uma pequena exposição direcionada para a primeira infância, na qual Gabriel Guirá compõe um ambiente que acolhe os sonhadores. Uma aldeia em miniatura, cujas casas são metáforas das nossas mais antigas memórias, aquelas que só sabemos em sonhos, pois são segredos que trouxemos com a gente antes mesmo de nascer.

 

Oficina Provocações Estéticas com os primeiros anos

Amnia Lab Teatro (Chile)

Neste curso introdutório de natureza expositiva e experiencial, a companhia chilena Amnia irá investigar a importância da experiência estética nos primeiros anos e como pode ser um espaço significativo de fruição, inclusão, descoberta e acompanhamento mútuo. O curso é dirigido a educadores de educação infantil, mães e profissionais vinculados à primeira infância.

 

Conexão Primeira Infância

Esta ação conta com apoio do Programa Conexão Cultura – FAC (Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal). A iniciativa surge pela primeira vez no Brasil para desenvolver um ambiente de interatividade cultural e convocar os principais programadores nacionais e internacionais, dedicados ao público de zero a seis anos de idade no âmbito das  artes cênicas, a conhecer a produção artística do DF, consolidando a capital do país como pólo pioneiro de criação para a primeira infância, promovendo a difusão da arte e a cultura do Distrito Federal e promovendo o intercâmbio com outros agentes nacionais e internacionais.

 

Os programadores assistirão, ao longo de cinco dias, a 10 diferentes espetáculos produzidos por artistas do DF, para o público de crianças de zero a seis anos de idade, dentro da programação do festival Primeiro Olhar, onde será promovido um espaço de atividades paralelas que servem como ponto de encontro, diálogo e reflexão para os artistas do DF, junto com diferentes festivais nacionais e internacionais.

 

 

Primeiro Olhar – VII Festival Internacional de Artes Cênicas para a Primeira Infância

De 27 de novembro a 5 de dezembro, no Espaço Cultural Renato Russo (508 Sul). Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia), vendidos antecipadamente pelo e-mail [email protected] ou no local, uma hora antes das apresentações. Ingressos limitados a 50 pessoas, respeitados os protocolos de prevenção à Covid-19, com espaço entre os assentos prevendo o distanciamento social. Uso obrigatório de máscaras. Classificação indicativa livre, indicado para crianças de zero a seis anos de idade. Siga: www.facebook.com/FestivalPrimeiroOlharDF e @lacasaincierta.

Fonte: Pedro Brandt

Fotos: Divulgação

 

Por: visitebrasilia
Data: 22/11/2021


Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!