EnglishJapanesePortugueseSpanish
07.11.2019

PUSSY RIOT É DESTAQUE NA PRIMEIRA EDIÇÃO DO FESTIVAL DE MÚSICA BRAVAS BRASIL

%name PUSSY RIOT É DESTAQUE NA PRIMEIRA EDIÇÃO DO FESTIVAL DE MÚSICA BRAVAS BRASILBanda russa se apresenta no Festival Bravas Brasil, realizado no dia 13 de novembro, que tem o objetivo de conscientizar sobre a importância de proteção à vida das mulheres e combate à violência

A banda russa Pussy Riot ficou internacionalmente conhecida e se tornou um dos grupos artísticos mais relevantes do mundo por meio do seu ativismo pelos direitos das mulheres e direitos humanos. Encenando e mesclando sua arte audiovisual e escrita no cenário mundial, ela já transmitiu sua mensagem através de reuniões com líderes mundiais, diretores e guardas prisionais, ativistas políticos, filósofos e outros artistas, incluindo: Yoko Ono, Madonna, Marina Abramovic, Bono, Ai Wei Wei, Noam Chomsky, Martin Sheen, Bernie Sanders, Bill e Hillary Clinton, Courtney Love, Salman Rushdie, Paul McCartney e outros.

Com uma luta contínua, persistente e implacável pelos direitos humanos, Pussy Riot se apresenta pela primeira vez em Brasília como atração principal no Festival de Música Bravas Brasil, que tem o objetivo de conscientizar sobre a importância de proteção à vida das mulheres e combate à violência. O Festival acontece dia 13 de novembro, quarta-feira, das 19h à 00h, no Complexo de Contêiner YURB.

A programação do Festival ainda em construção já conta com a banda Romanov, o coletivo de grafiteiras Matildas, a banda de percussão Batalá, formada só por mulheres, discotecagem com a DJ Vivi Seixas, além de performances, feirinha e um espaço zen.

Pussy Riot

A banda vem representada pela sua fundadora, Nadya Tolokonnikova, que é uma artista conceitual russa e ativista política. Pussy Riot tem sido um dos grupos artísticos mais relevantes do mundo nos últimos anos e é um símbolo global do ativismo.

Em 2012, Nadya foi condenada a 2 anos de prisão após uma apresentação do grupo em afronta ao Presidente Putin, na Catedral de Cristo Salvador, em Moscou. Logo após sua soltura, em dezembro de 2013, Nadya anunciou a abertura de um serviço de notícias russo independente, o Mediazona. Ela falou perante o Congresso dos EUA, Parlamento Britânico, Parlamento Europeu para lutar e defender os direitos humanos na Rússia. Além se pronunciar como palestrante honorária em muitas universidades, incluindo Harvard e Cambridge, ela recebeu um diploma honorário na RISD (Rhode Island School of Design).

 

Nadya publicou dois livros: Read & Riot: A Pussy Riot Guide to Activism (HarperOne, 2018) e “Saudações comuns: As cartas de prisão de Nadya e Slavoj” (co-escritas com Slavoj Zizek, 2014). Ela está no documentário Pussy Riot: A Punk Prayer (HBO, 2013) e apareceu como ela mesma no House of Cards, da Netflix. A série original da Netflix, Russian Doll, incluiu a faixa “Organs” no episódio 7, durante os créditos. The Spy Who Dumped Me (2018), uma comédia estrelada por Mila Kunis, tem “Bad Girls” de Nadya como trilha sonora.

Bravas Brasil: Em defesa da vida das mulheres

O mês de novembro é marcado por diversas lutas, entre elas, a “Luta Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher”. Para relembrar que é possível erradicar o feminicídio e punir de forma eficaz os agressores, o projeto Bravas Brasil realizará um festival de arte e performances, que busca conscientizar através de músicas, apresentações e danças, sobre a importância de proteção à vida das mulheres e combate à violência.

A primeira edição do projeto em formato de festival musical trará como tema “Em defesa da vida das mulheres”, tendo como objetivo principal a difusão da cultura de paz, o fomento ao empoderamento e engajamento nas lutas das mulheres.

O evento é organizado por BRAVAS mulheres que unem forças, expertises e talentos, na captação de parcerias para a realização de ações que visam por meio da expressão artística, chamar a atenção da sociedade para os graves problemas: importunação sexual, violência online, estupro, feminicídio e violência doméstica.

Banda Romanov

Formada por músicos experientes e rockeiros de longa data, Michele Chitko & Banda Romanov fazem um show de empoderamento e lacração resolutos a animar qualquer festa. Michele Chitko, a vocalista, cuja experiência no canto vai de Elis Regina a Demi Lovatto, de Janis Joplin a CéU, de Marisa Monte a Beyoncè, é acompanhada por um trio arrasador composto por André Guolha, na guitarra, Fernando de Castro, no baixo, e Leo Cavalcante, na bateria.

Vivi Seixas

Considerada uma das personalidades mais influentes da cena eletrônica brasileira,  Vivi é figura constante nos line-ups dos principais eventos do País e já foi premiada pela DJ Sound Awards como melhor DJ feminina de Deep House em 2016. DJ e produtora, Vivi Seixas é uma entusiasta da house music, e apesar de ter no tech-house sua vertente favorita, ela vai fundo ao explorar nuances deste universo sonoro.  Seu som tem como marca registrada as linhas de baixo firmes além de muito groove, características que surgem fluídas em sets sofisticados e irreverentes. Seu primeiro EP  tem samples originais inéditos do imortal cantor e compositor brasileiro Raul Seixas, seu pai, referência de densa bagagem musical que se faz notar na sensibilidade musical  aguçada de Vivi.

Banda Batalá: Mulheres mostram a que vieram

Elas são mães, profissionais, batalhadoras, ricas, pobres, brancas, negras, de vários lugares, com pensamentos diversos, mas uma paixão comum: o som arrepiante e contagiante dos tambores. Como lugar de mulheres é onde bem quiserem, elas decidiram formar uma nova família como integrantes da banda Batalá e o sucesso é apenas coadjuvante nisso tudo, já que, segundo elas, a sensação de tocar instrumentos de percussão é indescritível e mágica. A banda Batalá, exclusivamente feminina, formada em Brasília há 15 anos, realiza apresentações em eventos de diversas naturezas, com performances e figurinos próprios e produção musical autoral, tendo no samba-reggae a sua base.

Coletivo Matildas

Matilda – Nome feminino de origem teutônica. Guerreira que combate com energia. Forte na Batalha. Assim se identifica cada uma das manas que integra o coletivo Matildas. Cada mulher traz em si uma história de lutas e superações. Expressam na arte urbana, mais frequentemente no grafite, o paradoxo feminino: força e leveza, impulso e delicadeza, garra e beleza.

Programação* Atrações poderão se apresentar sem aviso prévio!

18h Abertura dos portões
Início do evento com apresentação do projeto

Banda Romanov

Coletivo Maltidas
Batalá
Pussy Riot
Prem Yashen

DJ Vivi Seixas

00h Encerramento

De 18h a 00h: Feirinha, espaço zen e performances

 

Serviço

Pussy Riot no Bravas Brasil – em defesa da vida das mulheres  

Quando: 13 de novembro de 2019 (quarta-feira)

Hora: 19h à 00h

Onde: Yurb – Complexo de contêiner

Endereço: St. de Clubes Esportivos Sul Trecho 2 

Entrada: Franca (mediante a doação de 1kg de alimento não perecível)

Classificação indicativa: 18 anos

Acompanhe no facebook e instagram: @bravasbrasil

Pussy Riot Divulgação 1 150x150 PUSSY RIOT É DESTAQUE NA PRIMEIRA EDIÇÃO DO FESTIVAL DE MÚSICA BRAVAS BRASIL Pussy Riot Divulgação 2 150x150 PUSSY RIOT É DESTAQUE NA PRIMEIRA EDIÇÃO DO FESTIVAL DE MÚSICA BRAVAS BRASIL Pussy Riot Divulgação 3 150x150 PUSSY RIOT É DESTAQUE NA PRIMEIRA EDIÇÃO DO FESTIVAL DE MÚSICA BRAVAS BRASIL Vivi Seixas Divulgação 150x150 PUSSY RIOT É DESTAQUE NA PRIMEIRA EDIÇÃO DO FESTIVAL DE MÚSICA BRAVAS BRASIL %name PUSSY RIOT É DESTAQUE NA PRIMEIRA EDIÇÃO DO FESTIVAL DE MÚSICA BRAVAS BRASIL


Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!