20.03.2019

SAIBA O SEU LUGAR!

33301372428 eff26e02de z SAIBA O SEU LUGAR!

Espetáculo solo celebra 40 anos de carreira do ator Chico Sant’Anna

Temas como violência sexual e exclusão social sistemática dos negros são abordados com sensibilidade

Texto foi especialmente escrito para o ator pelo dramaturgo argentino Santiago Serrano

Encenação faz parte da programação de comemoração dos 10 anos da Cia. Plágio de Teatro

Cada ser humano carrega dentro de si uma mesma escala de sentimentos e emoções. Basta colocar uma lente sobre a vida de todo cidadão comum e lá estão nossas mesmas angústias, aflições, desejos, esperanças, medos. Como cada um reagirá diante da vida é o que nos tornará únicos em essência. A arte tem sido o melhor veículo de expressão deste imenso universo subjetivo que nos singulariza como espécie animal. E escritores como Púchkin, Gógol, Dostoiévski há mais de 100 anos já revelavam a riqueza que pode haver na vida de um homem aparentemente comum. Esta também é a proposta do espetáculo “Saiba o seu lugar!”, que estreia no próximo dia 15 de março, no Espaço Cena, em Brasília. Em cena, o ator Chico Sant’Anna, um dos mais premiados e conceituados de Brasília, faz sua estreia no formato de monólogo, sob a direção de Sérgio Sartório. O espetáculo poderá ser visto até o dia 24 de março, sempre de sexta a domingo, às 20h – sessão especial no dia 17, com libras e audiodescrição.

“Saiba o seu lugar!” é um espetáculo que celebra os 40 anos de carreira de Chico Sant’Anna e os 10 anos da Cia Plágio, da qual o artista faz parte. Para as comemorações, o dramaturgo argentino Santiago Serrano escreveu, especialmente para o ator, o monólogo no qual um homem comum revela fatos de sua vida para a plateia. E, ao revelar-se, toca em questões relevantes da sociedade brasileira, como preconceito racial, violência doméstica e exclusão social, dentre outras. Assim como o pobre Akaki, o humilde funcionário público de “O Capote”, de Gógol, que nos oferece uma imagem fiel da vida na Rússia czarista, o personagem de “Saiba o seu lugar!” constrói com sua narrativa um retrato da sociedade brasileira contemporânea, mostrando as cicatrizes ocultas e nos revelando que nada é exatamente como aparenta ser.

Saiba o seu lugar! Escolha de que lado você está! Estas são algumas das provocações que brotam do palco, afinal, desde os gregos o teatro cria resistências, promove reflexões e nos oferece um espelho em que vemos nossas faces refletidas.

O ESPETÁCULO

“Saiba o seu lugar!” apresenta ao público o personagem Dinho dos Santos, um senhor com quase 70 anos de idade que se propõe a contar um pouco de sua vida. Dinho é como tantos outros milhões de senhores brasileiros de pele negra, nascido numa família pobre, criado nas periferias das cidades do interior do país. Fruto de uma educação rígida, foi instruído a sempre se lembrar de “qual era o seu lugar”, segundo as palavras de sua mãe. Esse homem como tantos outros irá surpreender a plateia com uma vida intensa e rica, revelada com humor e, claro, também com emoção.

A frase que dá título ao espetáculo, até meados do século XX, era dita e repetida às populações negras sem melindres. Num país que mascara seu racismo sob uma decantada (e falsa) democracia racial, ela pode soar abusiva nos tempos de hoje, mas não precisamos ir longe para considera-la ainda bastante atual. Brancos e negros vivem em países diferentes dentro do Brasil, após 358 anos de escravidão. A população negra segue sendo o grupo étnico mais pobre e com menor escolaridade do Brasil. O percentual de negros assassinados no País é 132% maior – a cada 100 mortes violentas, 71 vítimas têm a pele negra. Essa

exclusão sistemática leva a um quadro que implica, para a população negra, em menores salários, menos acesso ao sistema de saúde, ao mercado de trabalho, aos meios de comunicação, à ascensão social, à cultura, à educação. Todos estes dados servem de pano de fundo para que o espetáculo “Saiba o seu lugar!” revele a história de Dinho dos Santos.

Falar de perto sobre o ator Chico Sant’Anna não é uma novidade para o dramaturgo Santiago Serrano. O argentino já concebeu, especialmente para Chico e dois de seus companheiros de companhia – Sérgio Sartório e Vinícius Ferreira -, o texto do espetáculo “Noctiluzes”, encenado de 2014 a 2018, sob a direção de Sartório. Do mesmo autor, Chico Sant’Anna também integrou o elenco da peça “Fronteiras”, levada ao palco em 2008, com direção de Guilherme Reis. Serrano é ainda autor de outro texto que a Cia. Plágio encenou

em 2016, “A Autópsia de um Beija-Flor”, novamente dirigida por Sérgio Sartório. Desta vez, entretanto, Chico Sant’Anna enfrentará o desafio de estar só em cena, emprestando seu corpo de ator para falar de algumas mazelas da espécie humana.

A EQUIPE

CHICO SANT’ANNA – Ator

Chico Sant’Anna é um premiado ator, com atuação em teatro, cinema e televisão. Chico iniciou a carreira sob as bênçãos de Bibi Ferreira, no antológico espetáculo “Gota D’Água”, de 1980, dirigido por Gianni Ratto e protagonizado pela grande dama do teatro brasileiro falecida recentemente. De lá para cá, foram dezenas de peças teatrais, longas-metragens, filmes de publicidade, que lhe renderam vários prêmios. Em teatro, atuou sob a batuta de encenadores como Hugo Rodas (em Arlequim, servidor de dois patrões, por exemplo, criou

um antológico Pantaleão), B. de Paiva, Adriano e Fernando Guimarães, Alexandre Ribondi, Guilherme Reis e Dimer Monteiro, dentre outros. Em 2011, sua performance no espetáculo Cru, de Alexandre Ribondi, lhe rendeu o Prêmio de Melhor Ator no Festival de Teatro do Rio de Janeiro – UVA. Em cinema, trabalhou com diretores como Suzana Amaral, José Eduardo Belmonte, João Batista de Andrade, Iberê Carvalho, Geraldo Moraes, Santiago Dellape, dentre outros. Por seu trabalho no filme Simples Mortais, 2008, de Mauro Giuntini, recebeu o prêmio de Melhor Ator no Festival de Cinema de Pernambuco; e pela atuação no longa Cru, de Jimi Figueiredo, conquistou os prêmios de melhor ator no Festival de Cinema Guarnicê – São Luís/MA e no Festival de Cinema de Maringá. Chico Sant’Anna fez ainda participações em novelas (como O Rei do Gado, Cabocla, Da Cor do Pecado), seriados (Malhação, A Diarista, Carga Pesada), minisséries (JK, Felizes para Sempre, Mad Maria) e recentemente participou do episódio Fuga de Natal, exibido pela TV Globo em dezembro de 2018.

SÉRGIO SARTÓRIO – Diretor/tradutor/ator

Com 21 anos de carreira, Sérgio já dirigiu e protagonizou dezenas de espetáculos no Distrito Federal, além de ter atuado em filmes premiados como Cru, de Jimi Figueiredo, O outro lado do paraíso, de André Ristum, Comeback, de Erico Rassi, Somos Tão Jovens, de Antônio Carlos Fontoura, e New life S.A, de André Carvalheira, dentre vários outros. Começou sua pesquisa de linguagem que segue até hoje com a Cia. Plágio, ainda na faculdade, em 2000. Foi codiretor dos irmãos Adriano e Fernando Guimarães em diversos espetáculos, dirigiu

Hugo Rodas num dos quadros do peça 7 X Rodas e foi dirigido pelos mais importantes diretores de Brasília. Detém sete prêmios de melhor ator (dois Prêmios SESC para teatro, em 2010 e 2017, além de festivais de cinema como Guarnicê e Maringá), melhor diretor (Prêmio SESC 2010) e melhor iluminador (Prêmios SESC 2014 e 2017).

SANTIAGO SERRANO – Dramaturgo

Com 35 cinco anos de carreira, argentino, tem peças montadas em vários países como Brasil, Espanha e França. Premiado  em concursos de dramaturgia, tem carinho especial pelo Brasil onde já teve cinco peças montadas e tornou-se parceiro da Cia. Plágio com a encenação de Noctiluzes, escrita especialmente para o grupo.

CIA PLÁGIO

Em 2017 o grupo completou dez anos desde sua primeira montagem. Ao longo desta década foram montadas 14 peças, algumas apresentadas em mais de 50 cidades do Brasil e também em Milão, na Itália. Desde então, a companhia conquistou 18 prêmios, nas diversas categorias. As apresentações do espetáculo Cru, em 2013, e de Noctiluzes, em 2015, foram indicadas como uma das 10 melhores peças em cartaz em São Paulo e receberam quatro estrelas pela Revista Veja recomenda. Atualmente, o grupo é integrado por quatro atores, uma atriz e um diretor técnico, que se dividem entre as funções de produção, direção e criação cênica. Para cada montagem, a companhia trabalha com profissionais convidados.

FICHA TÉCNICA – Saiba o seu lugar!

Texto: Santiago Serrano

Direção e tradução: Sérgio Sartório

Elenco: Chico Sant’Anna

Iluminação: Sérgio Sartório

Trilha sonora: Chico Sant’Anna

Cenografia e figurino: Chico Sassi

Assessoria de imprensa: Objeto Sim

Produção: Deca Produções (André Deca) e Guinada Produções (Daniela

Vasconcelos)

Realização: Cia Plágio

Patrocínio: FAC – Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura do DF

Apoio: Espaço Cena, Pardim

SERVIÇO

Local: Espaço Cena (CLN 205 – bloco C)

Data: 15, 16, 17, 22, 23 e 24 de março

Horários: 20h

Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia) – à venda na bilheteria, a partir

das 18h

Informações e reservas: (61) 3349.3937

DURAÇÃO: 55MIN

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 14 ANOS

ATENÇÃO: É NECESSÁRIO FAZER A RESERVA DA AUDIODESCRIÇÃO NA SESSÃO ESPECIAL DO DIA 17.

Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!