EnglishJapanesePortugueseSpanish

Setur lidera grupo para dar destaque ao enoturismo do DF


Visita tecnica ao projeto da Vinicola Brasilia. Foto Claudio Gerber Setur DF Setur lidera grupo para dar destaque ao enoturismo do DF

Clima favorável e o projeto ousado da Vinícola Brasília têm tudo para atrair turistas e projetar vinhos de alta qualidade no Brasil e no exterior

Quem poderia dizer que o Planalto Central, que foi escolhido para abrigar a capital federal há 61 anos, poderia também se tornar uma das melhores regiões produtoras de vinho de alta qualidade? O feito tem dois ingredientes: clima propício e vontade de fazer. O sonho começou quando dez amigos agricultores decidiram entrar na vitivinicultura para competir com as melhores vinícolas do Brasil e do mundo. Esse sonho ganhou força e robustez com a criação, em maio deste ano, de um Grupo de Trabalho (GT) formado por 22 entidades e coordenado pela Secretaria de Turismo do DF (Setur-DF) e pela Superintendência Federal de Agricultura do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SFA/Mapa).

O GT do Enoturismo tem como meta inserir a Vinícola Brasília na rota do enoturismo nacional e internacional. Fazendo parte das atividades, a Setur-DF e a SFA coordenaram uma visita técnica, nessa terça-feira (8), aos empreendimentos vitivinicultores que integram a vinícola, localizada no Programa de Assentamento Dirigido do Distrito Federal (PAD-DF). O encontro com os empresários fez parte de uma extensa agenda criada para estruturar e fortalecer o enoturismo na região.

Participaram da agenda de trabalho representantes dos órgãos do GT e sócios de alguns dos empreendimentos que formam a Vinícola Brasília, entre eles a Villa Triacca Pousada e Vinhos, Ercoara Cordeiro e Vinho, Oma Sena, Casa Vitor, Vinícola Marchese e Horus Vinhos e Vinhedos. Também acompanharam a visita o presidente do Sindicato de Turismo Rural e Ecoturismo do DF e Entorno, Fernando Mesquita; o presidente da Associação Comercial do DF, Fernando Brites, e o administrador de Planaltina, Célio Rodrigues.

A secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, que coordenou a reunião, destacou que o enoturismo no DF vai se tornar uma realidade, pois a união da iniciativa privada e de órgãos distritais e federais é imbatível. “O nosso governo é de ação e o momento agora é de agir. Esse grupo de dez empresários começou do zero, acreditou. Nossa missão agora é unir forças, estruturar, qualificar e promover o enoturismo do DF, que é um segmento muito forte dentro do turismo mundial. Vamos transformar Brasília também como a capital do enoturismo do Brasil”, afirmou a secretária.

Cada empreendimento que compõe o projeto está se estruturando para colocar a região no roteiro do enoturismo nacional e internacional. O segmento, no entanto, está sendo projetado para ser o guarda-chuva para a oferta de outros produtos, como ecoturismo, turismo rural, gastronômico, turismo de contemplação e artesanato. De acordo com a vocação de cada propriedade, os empresários estão se organizando para oferecer experiências múltiplas em suas fazendas.

Rota dos Vinhedos

O proprietário da Villa Triacca Pousada e Vinhos, Ronaldo Triacca, falou que agora é o momento de planejar e dar corpo ao projeto do enoturismo, que já está se estruturando pelas mãos dos empreendedores da Vinícola Brasília. “O trabalho que está sendo liderado pela Setur-DF e pela SFA, juntamente com as outras 20 entidades, vai permitir que, ao lançarmos a Rota dos Vinhedos, nós, empresários, já estejamos organizados e estruturados. Os amantes do vinho chegarão aqui e vão se surpreender com a qualidade das bebidas e da estrutura que vão encontrar. O trabalho conjunto visa nos colocarmos como umas melhores vinícolas do mundo”, garantiu o empresário.

Segundo o presidente da Associação Comercial do DF, Fernando Brites, precisaram passar 60 anos para a Secretaria de Turismo descobrir o turismo da capital e mostrar o potencial dos vários segmentos locais. “Os vinhedos representam um grande mercado turístico no mundo inteiro. O trabalho da Vanessa Mendonça está viabilizando a estruturação desse sonho e de um setor que gera emprego”, considerou Fernando Brites.

Grupo de Trabalho

O GT do Enoturismo está dividido em seis subgrupos com responsabilidades distintas. São elas: identificar os empreendimentos que poderão fortalecer o segmento; mapear os empreendimentos participantes da Vinícola Brasília; revitalizar os atrativos turísticos e realizar as infraestruturas necessárias; qualificar os empreendimentos e roteiros; apoiar a comercialização dos produtos principais e adjacentes e promover os produtos e serviços vitivinícolas para o mercado turístico.

Para o sócio da Horus Vinhos e Vinhedos, Sérgio Araújo, a sinergia do GT, que envolve muitos órgãos dos governos distrital e federal, minimiza as dificuldades inerentes à estruturação de um projeto com a envergadura da Vinícola Brasília. “Alguns gargalos podem ser resolvidos em conjunto, como o excesso de burocracia, qualificação técnica para desenvolver os produtos e os profissionais, segurança, consultoria extensionista e outros apoios nos dão confiança para concluir nossos objetivos até o fim”, concluiu.

Clima propício

A certeza de produzir vinhos de altíssima qualidade pelos empresários da região do PAD-DF tem uma razão principal: a amplitude térmica. A alternância das temperaturas altas durante o dia e as baixas durante as noites explicam a qualidade da uva. O sol quente sem nebulosidade expõe as uvas ao calor.

“Durante o dia as plantas estão trabalhando, fazendo a fotossíntese, puxando nutrientes do solo para colocar nos frutos e, quando chega a noite, a temperatura cai – e é o momento em que a planta descansa para concentrar as características fenólicas nas bagas. Isso vai dar estrutura ao vinho, futuramente. A grande vantagem do nosso clima é o período seco que garante a produção de um vinho fino de altíssima qualidade”, explicou um dos sócios da Ercoara Cordeiro e Vinhos, Erbert Araújo.

Blend de todos

A Vinícola Brasília surgiu do sonho de um grupo de dez amigos amantes do vinho e agricultores do PAD-DF. A sociedade colaborativa viu na vitivinicultura uma oportunidade promissora para ampliar negócios, gerar renda e emprego local. A empresa é formada pelas empresas Miro Vinhos e Vinhedos Ltda, Ercoara Cordeiro e Vinho, Hartos Vitivinicultura, Vinícola Marchese, Oma Sena Vinhos e Vinhedos, Horus Vinhos e Vinhedos, Casa Vitor, Toscana do Cerrado, Vista Da Mata e Villa Triacca Eco Pousada e Vinhos.

O arrojado projeto arquitetônico foi desenvolvido por arquitetos locais e contará com tecnologia de ponta, que justifica o investimento de R$ 6 milhões até o momento. O espaço terá um enorme subsolo para armazenamento das barricas, loja para comercialização dos 11 rótulos, sendo um de cada vinhedo e o 11º um blend com todos.  A inauguração está prevista para maio de 2022.

A produção inicial será de 60 mil litros por ano, com previsão de se chegar a 500 mil litros/ano. A uva carro-chefe da vinícola será a Syrah, porém outras castas podem entrar no portfólio de produção:Cabernet Franc, Marselan, Malbec, Sauvignon Blanc, Viognier, Pinot Noir, Cabernet Sauvignon, Vermentino e Petit Verdot.

Enoturismo

O projeto da Vinícola Brasília é o carro-chefe do enoturismo no Distrito Federal, que vai impulsionar outros segmentos do turismo e a atividade agrícola na região. Essa é expectativa do superintendente Federal de Agricultura, William Barbosa, que também coordena o grupo de trabalho. “A SFA e a Setur-DF têm o desafio de mudar a realidade da agricultura do Distrito Federal, aliada ao turismo. E vamos entregar. Com o empoderamento dos produtores se sentindo pertencentes, construindo alianças e trabalhando integrados, veremos em um ano muitos resultados dessa ação conjunta”, considerou William.

Para o presidente da RuralTur, Fernando Mesquista, chegou a hora de acreditar no Cerrado, acreditar num produto novo que vai colocar Brasília no cenário nacional e internacional, não só do turismo, mas da vitivinicultura. Segundo Fernando Mesquita, “para além de agregar valor, gerar emprego e divisas, vai ser fantástico harmonizar o enoturismo com tanta coisa: turismo pedagógico, gastronômico, apreciar as belezas naturais e oferecer um turismo de experiência”.

“Não existe um grupo de trabalho constituído no âmbito da Setur que não tenha alcançado o resultado a que nos propusemos fazer. Depois de distribuir as competências, dou o primeiro passo e busco as parcerias necessárias em cada segmento. Portanto, o trabalho integrado com os órgãos do GDF, do governo federal e a inspiração dada pelo projeto da Vinícola Brasília vão virar a chave do enoturismo do Distrito Federal, do Brasil e do mundo. Saio daqui com uma certeza: vamos transformar, diversificar e ressignificar a experiência turística do morador e do visitante que vier a Brasília”, finalizou a secretária Vanessa Mendonça.

Ascom Setur DF

Foto: Cláudio Gerber -Setur-DF

AMEI BRASÍLIA – GALERIA FOTOGRÁFICA

Por: visitebrasilia
Data: 10/06/2021


Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!