EnglishJapanesePortugueseSpanish
04.12.2020

Teatro brasiliense se articula para manutenção dos grupos locais

cia. víÇeras foto Gabi Cirqueira 300x199 Teatro brasiliense se articula para manutenção dos grupos locais

 

Grupo de Artistas em Rede Associada (GARRA) promove financiamento coletivo e participa do Festival Cena Contemporânea

 

GARRA (Grupo de Artistas em Rede Associada) é um coletivo que nasce do encontro de oito grupos teatrais das mais diferentes estéticas, que atuam ativamente no Distrito Federal. Esses oito grupos estarão participando do festival Cena Contemporânea – Festival Internacional de Teatro de Brasília deste ano, que será totalmente on-line, onde cada coletivo irá propor uma pequena cena. O público terá a oportunidade de conhecer um pouco da linguagem de cada grupo, caso ainda não conheça, e também conhecer mais a fundo o projeto GARRA.

Formado pela Agrupação Teatral Amacaca (ATA), Andaime Companhia de Teatro, Celeiro das Antas, cia. ViÇeras, Grupo Embaraça, Grupo Liquidificador, Grupo Tripé e Novos Candangos, a GARRA é um projeto que visa fortalecer a produção teatral dos grupos envolvidos através de um Financiamento Coletivo Contínuo.

Ao todo, são 52 artistas que compões o coletivo GARRA, tecendo uma rede com o público que apoia e consome arte e cultura. Ao todo, esses Grupos produziram 52 produções ao longo desses anos de existência, entre espetáculos, performance-intervenção, audiovisual e ações de formação. Foram mais de 755 sessões apresentadas, mais de 100 mil espectadores alcançados, e mais de 1.500 empregos diretos gerados.

Criado em meio a pandemia de Covid-19, esse coletivo de artistas tem o objetivo de possibilitar fluxos regulares aos caixas das companhias, que ficaram defasados com o fechamento dos espaços culturais e com a impossibilidade de apresentações nesse período de quarentena.

São 52 artistas divididos entre esses 8 coletivos, que estão escrevendo, ao lado de muitos outros Grupos, a história do teatro de Grupo do DF e que fazem parte da história cultural da cidade. Entre os integrantes dos grupos temos os diretores Hugo Rodas da Agrupação Teatral Amacaca (ATA) e Zé Regino do Celeiro das Antas que já são considerados patrimônio cultural da capital.

No Cena Contemporânea, A Garra vai apresentar um espetáculo e sete micro performances. A ATA estreia o espetáculo Poema/Confinado, com direção de Hugo Rodas. Já os demais grupos apresentarão as mini performances: “Baque” da Andaime Cia de Teatro, “Buraco” da Cia VíÇeras, “AntaGônicos” do Celeiro das Antas, “Joana” do Grupo Embaraça, “comofazerabsolutamentenada.mov” do Grupo Liquidificador, “Mp3 – A Missão” do Grupo Tripé e “Drops Telecotidiano” do grupo Novos Candangos.

O Festival Cena Contemporânea

O 21º Cena Contemporânea será dividido em dois momentos. O primeiro acontece agora, de 1 a 11 de dezembro de 2020, inteiramente online e gratuito. Serão apresentados trabalhos que foram especialmente criados para o ambiente virtual, explorando formatos e abordagens diversas, e outros que trazem para as telas obras originalmente apresentadas no palco.

São propostas originais, muitas delas concebidas especialmente para o festival. Cada trabalho poderá ser visto na data de sua estreia e por mais três dias, quando seguirá disponível para visualização, em qualquer horário.

Como apoiar o Garra

Na GARRA, os sócios podem contribuir direta e ativamente para a manutenção e sobrevivência dos artistas e dos grupos. São 3 categorias de contribuição na plataforma Apoia.se e, uma vez em rede, os apoiadores colaboram com a continuidade do fazer teatral e recebem facilidades no seu acesso a cursos, espetáculos, processos, workshops, performances, eventos, etc.

Assim, o dinheiro é dividido de forma sempre igual entre as agrupações, e uma parte será destinada à política de partilha, que visa colaborar com outros coletivos, ações e projetos do DF. Durante o período de pandemia, essa porcentagem será redirecionada a ações de emergência a artistas, técnicas e espaços culturais.

SERVIÇO

Garra no Cena Contemporânea

02/12 (quarta-feira) às 21:30 – AntaGônicos, do Celeiro das Antas

03/12 (quinta-feira) às 22:05 – Rede GARRA: Obras Reunidas

04/12 (sexta-feira) às 21:30 – Buraco, da Cia VíÇeras

06/12 (domingo) às 19:30 – Baque, da Andaime Cia de Teatro

07/12 (segunda) às 21:30 – Mp3 a missão, do Grupo Tripé

08/12 (terça-feira) às 21:30 – comofazerabsolutamentenada.mov, do Grupo Liquidificador

09/12 (quarta-feira) às 21:30 – Joana, do Grupo Embaraça

10/12 (quinta-feira) às 21:30 – Drops Telecotidiano, dos Novos Candangos

10/12 (quinta-feira) às 21:30 – Poema/Confinado, da Agrupação Teatral Amacaca

As apresentações serão exibidas gratuitamente no player do site do festival (https://cenacontemporanea.com.br/2020/). Poderão ser revistas por mais três dias depois de sua estreia, em qualquer horário, no canal Youtube do Cena Contemporânea (https://www.youtube.com/user/cenabsb).

 

Fonte: Brilha Assessoria Cultural

Foto: Gabi Cirqueira


Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!