EnglishJapanesePortugueseSpanish

Território Culturais


%name Território Culturais

Um mapa de 14 espaços independentes de produção cultural que lançam mão da arte para interagir com as comunidades ao redor

De programação extensa, permeada por diversas linguagens artísticas e formativas, o Territórios Culturais anuncia as próximas atividades propostas pelos Espaços. Atividades que têm como premissa a garantia de acesso democrático à população, uma vez que todas são gratuitas.

A partir de 16 de agosto, destacam-se ações que atravessam a comunidade local e, por boa parte delas serem em formato virtual, reúnem potencial para alcançar toda a população do DF.

De intervenção urbana, quando 20 grafiteiros irão cobrir muros externos de escolas públicas, a rodas de conversa sobre apropriação cultural, arteterapia, ancestralidade, realização de eventos em meio a pandemia e autocuidado, o projeto ainda abre espaço para uma mostra de cinema brasileiro.

Entre as outras propostas apresentadas pelos territórios estão: oficinas de construção de instrumentos, dança e de adereços afro, curso de criação de fanzine para pessoas trans e sarau de poesias. Toda a programação vem sendo compartilhada em instagram.com/territorios.culturais, mais informações abaixo:

CASA AKOTIRENE

Contrapondo à visão reducionista de Quilombos, tidos meramente como espaços para abrigar povos negros e indígenas, nestes territórios há estáveis processos de estruturação social, de lutas por direitos e de reconexão com ancestralidade. A Casa Akotirene, definido como quilombo urbano localizado em Ceilândia, firma-se na luta de direito à moradia para a comunidade preta feminina e LGBTQIAP+, reconhecimento de ancestralidades diaspóricas, desenvolvimento de identidade afro-brasileira e afirma a presença, não só de uma perspectiva rural, mas enquanto existência urbana e cosmopolita. Atualmente, o espaço se configura em “Associação Cultural Casa Akotirene Quilombo Urbano”, que teve início do seu processo de institucionalização em dezembro de 2020.

Dias: 18 e 25 de agosto, às 10h – youtube.com/channel/UCLRW8M6Pzo2I68Ncyp7e1gQ

Oficina de Dança Afro: Com base na dança dos Òrìşà, a oficina se traduz através da motricidade dos contos e feitos de algumas divindades que fazem parte do panteão Yoruba, entendido no Brasil como parte da cultura diaspórica afro-brasileira e africana.

Inscrições: forms.gle/hTc8zJhXxzCGuv17A

Dias: 22 de setembro, às 10h -youtube.com/channel/UCLRW8M6Pzo2I68Ncyp7e1gQ

Oficina de escrita criativa: A oficina é uma investigação das formas instintivas de comunicar através das palavras. Voltada para narrativas – e identidades – que propõe a reinvenção da história e da realidade, o conteúdo da oficina recupera a tradição de contar histórias a partir do estudo e produção de obras e fragmentos considerados ‘afrofuturistas’.

MAPATI

Dia 16 de agosto, às 19h – youtube.com/user/ciamapati

Oficina sobre como elaborar termos de fomento da MROSC – Da ideia inicial ao empenho.

COLETIVA PRETINHAS

Dia: 18 de agosto, às 20h – Instagram: @coletivapretinhas

Promove instigante roda de conversa sobre moda e apropriação cultural. O encontro, virtual, contará com intérprete de Libras.

Dia: 1º de setembro, às 20h – Instagram: @coletivapretinhas

Fortalecer a identidade das mulheres pretas é o que propõe a Coletiva Pretinha com a realização de roda de conversa [virtual], onde serão debatidos temas acerca da cultura ligada à ancestralidade e ao autocuidado.

Dia: 15 de setembro, às 20h – Instagram: @coletivapretinhas

Roda de conversa [virtual] sobre produção cultural e seu impacto no cotidiano da sociedade. Participam do evento artistas, gestores/as e produtores/as culturais.

Dia: 29 de setembro, às 20h – Instagram: @coletivapretinhas

Debater os novos formatos para realização de eventos artísticos em meio à pandemia é o que propõe a roda de conversa – Desafios de Produzir Atividades Culturais On-line. O bate-papo terá mediação e presença de produtoras/es culturais que atuaram fortemente durante o confinamento imposto pela pandemia.

TERRITÓRIO CULTURAL DO PARANOÁ

Dia: 19 de agosto às 19h – abre.ai/territorioparanoa

Felipe Fiúza, luthier e músico com extensa atuação pelo Brasil e no exterior, ministra oficina de construção de instrumentos percussivos a partir de materiais recicláveis e/ou reutilizáveis.

Dia: 07/09 às 19h – Ingressos abre.ai/cinecoco ou pelo e-mail: [email protected]

Em cartaz desde 6 de julho, o Território Cultural Paranoá realiza o Cine Coco, um clube de cinema virtual com a apresentação de seis sessões de cinema. A ideia é aproximar a comunidade do cinema nacional, estimular a formação de plateia e dar continuidade à difusão do cinema brasileiro, desta vez em formato on-line. Segundo Janú Ário Jr, idealizador do Festival de Cinema do Paranoá e curador do Cine Coco, “promove, durante os 90 minutos de sessão e debate entre realizadores e espectadores, um espaço de protagonismo das narrativas dos mais diversos movimentos de periferia”. Todas as sessões do Cine Coco serão exibidas de forma virtual, nos canais do Território Paranoá.

Dias: 02/09, 07/10 e 19/11 às 19h – abre.ai/territorioparanoa

A arteterapia como meio para estimular o autoconhecimento. Em uma roda de conversa virtual, o Território Cultural Paranoá lança mão de linguagens artísticas para criar dinâmicas e diálogos a fim de promover bem-estar e fortalecimento dos vínculos entre participantes. As rodas são espaço de acolhida, empoderamento, criação de vínculos, troca de saberes e experiências entre mulheres; um encontro resistência, um manifesto afetivo. Constituem um conjunto de ações, com formação, vivências artísticas, movimento do corpo, um espaço de acolhida e confiança que fortalecerá o autocuidado e cuidado na sua dimensão política, coletiva, individual e subjetiva.

AFROCOMUNIDADES

Dias: 22 e 29 de agosto, e 5 de setembro, das 14h às 18h – presencial com inscrição prévia.

Oficinas de Adereços Afro: A cultura africana em cores, formas e estilo influencia a moda afro-brasileira e a cultura regional. Nesta oficina, Rogério de Oyá ensina como confeccionar adereços, que, a seu ver, “são instrumentos que reforçam a identidade cultural e a beleza afro-brasileira, cria um estilo próprio e contribui na afirmação da identidade através da estética”, comenta Oyá.

Dias: 19 e 26 de setembro e 03, 10, 17 de outubro, das 14h às 18h – presencial com inscrição prévia.

Oficinas de confecção de Agbés (Xequeres): Com a transmissão dos saberes de Edson Edinho, serão transmissões com passo a passo de como confeccionar um Agbe/Xequere, contando a história desse instrumento, mostrando diversas formas de trançar a rede, ensinando toques com esse instrumento ancestral que faz parte da manifestação cultural brasileira, visando também aproximar a comunidade aos saberes tradicionais da cultura popular.

A PILASTRA

Dia: 26 de agosto, às 19h – youtube.com/channel/UCCwls_QnLrlVQmY98oPhNVw

Live sobre arte educação convida para um diálogo sobre diferentes aspectos dentro do campo das artes.

Dia: 22 de agosto e 19 de setembro, às 19h – open.spotify.com/show/0z85stG6NWjVxp7bionewk?si=vGFZcz0BRzKgwtZdaEtdjQ&dl_branch=1

Podcast dedicado a pensar as diferentes possibilidades de carreiras dentro da arte. Pensando desafios, desdobramentos, caminhos, vitórias e percalços, e tendo em vista a precarização e a invisibilização da cultura, assim, consequentemente, a dos trabalhadores culturais no Brasil de hoje para além dos desafios impostos pelo digital.

AS SEBASTIANAS

Dia: 22 e 23 de agosto, às 19h – youtube.com/channel/UCsH4XEgaERogau9dGFcp-5w

Agência potencializadora de artistas em São Sebastião promove junto à Biblioteca Exu do Absurdo o “Do Pixo Aos Livros”, produção que estuda a literatura periférica e suas expressões e linguagens. Estreia pelo canal do YouTube da coletiva (https://abre.ai/youtubesebastianas) e no cinema da Escola Galeria Chicão (CED São Francisco).

TRANZINE-SE
Dias: 23, 25, 28, 30 de agosto, e 9, 10, 11 e 22 de setembro – informações e inscrições: instagram.com/diana.salu
Transzine-se – Laboratório de fanzines:
Um espaço para experimentar a criação, expressão e invenção (de si, de outres, do mundo) através das zines. Proposto por Diana Salu o curso explora as possibilidades das zines – publicações impressas feitas de forma autônoma usando ferramentas como xérox e outras – para a expressão individual em diferentes áreas como a escrita, o desenho, a colagem, os quadrinhos, a fotografia, o design – em um movimento que estimula a troca e a pluralização de vozes. Todos os módulos, no total de quatro, se costuram pela exploração da criação direcionada à publicação impressa em fanzines. Ao final, cada participante terá uma publicação autoral e os trabalhos produzidos serão digitalizados e disponibilizados na zineteca virtual do projeto. O curso é voltado exclusivamente para pessoas trans (travestis, transexuais, transgêneros e pessoas não binárias). Lançamento do site do projeto e inscrições a partir do dia 12.08.

MERCADO SUL
Dias: 27 de agosto, 3 e 15 de setembro, às 16h – instagram.com/mercadosulvive/
Série de cursos, oferecidos a toda a comunidade do DF, traz oficinas de capacitação artística, de saberes tradicionais e de tecnologias sustentáveis. Entre os temas a serem abordados nas aulas estão teatro e cultura popular, mobilidade urbana através da bicicleta, artesanato e mídias sociais. Realizar esta série, segundo os coordenadores, significa “valorizar os saberes populares, estimular a troca e horizontalizar conhecimentos”, pontuam. Através do compartilhamento destes conteúdos, pretende-se “instrumentalizar pessoas e coletivos, potencializar trabalhos e pavimentar caminhos para a geração de renda local”, destacam.

POESIA NAS QUEBRADAS

Dias: Ainda a serem definidos

20 representes das artes visuais do grafite participam de ação que cobrirá muros externos de cinco Escolas da Rede Pública de Ensino em Planaltina. A ação tem por objetivo neutralizar a frieza de paredes lisas com obras de arte, que, através de imagens buscam estimular o pensamento crítico e amenizar a aridez urbana. Artista receberão ajuda de custos e material necessário para realizar suas obras. Cada obra vai cobrir uma área de 2x3m de parede.

Dia: 2 de outubro, às 19h – youtube.com/channel/UCwe2eb78r1Dal3huWRgzhxw

Um FestSarau Poesia nas Quebradas fecha o ciclo de atividades promovidos pelo território Poesia nas Quebradas. O evento contratará com a participação de artistas representantes da cultura Hip-Hop em suas cinco vertentes – DJ, Breaking, Grafitte, Rap e conhecimento. O Sarau contará também com o lançamento e distribuição gratuita da 2ª Ed. do livro PNQ.

Territórios Culturais – Etapa 2 é uma realização da Associação Artística Mapati, também gestora do projeto, com apoio do Instituto Macondo e conta com fomento da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal. O aporte direto de recursos, via emenda parlamentar do Deputado Distrital Fábio Félix, vai gerar, aproximadamente, 70 empregos temporários diretos e cerca de 230 indiretos.

Fonte:  Território Comunicação

Fotos: Divulgação

 

Por: visitebrasilia
Data: 16/08/2021


Fechar

Enviar email

Que tal ter acesso rápido e fácil ao seu roteiro de onde estiver?
Envie por e-mail, compartilhe com amigos, e divirta-se em BSB!!!

Fechar

Criar novo roteiro

Fechar

Editar Roteiro

Fechar

Esqueci minha senha

Fechar

Aviso

Solicitação enviada com sucesso!