Lançamento de primeiro EP do violonista dedicado ao gênero, fecha a temporada 2023 do “Estação do Choro” no SESC da 504 sul, no dia 24 de novembro, às 20hs

Das cordas do seu violão sai choro e samba de todo tipo e da sua cozinha, composições lindas com as sete faixas do seu novo disco com lançamento no show de novembro do projeto. É que Dudu 7 Cordas adora preparar comidas e nesta hora chega a inspiração para compor. “É muito engraçado como as primeiras ideias de música e de choro, em especial, sempre aparecem quando estou na cozinha”, conta.

A história deste filho de Niterói (RJ) radicado em Brasília desde 2005 revela muito do universo do choro brasiliense. Sobrinho de Brito do Cavaco, figura muito conhecida nos meios musicais da cidade e pouco, no restante da cidade, Dudu frequentava as rodas na casa do tio em Brasília, desde 1997. Compositor de vários sambas enredo e aposentado da Escola Parque da 210 Norte, “Tio Brito” ensinou feras de diferentes instrumentos como Márcio Marinho (cavaquinho), Rafael dos Anjos (violão) e Rafael Bandol (bandolim). “Quando descobri o choro tocando com ele e meus primos (Márcio Marinho e Luciano Barbosa), soube que precisava tocar esse negócio”, brinca. Nesse processo afetivo de iniciação na cena do choro e do samba de Brasília, acabou escolhendo o violão de 7 cordas como seu instrumento principal e ganha pão. “Eu percebi que ele podia ser minha fonte de renda e foquei nele”.

Figura conhecida também na cena do samba como cantor e violão de seis cordas, Dudu tira melodias bonitas até de momentos estressantes da vida. É o caso das faixas “De Manhã” e “De Noite” do seu EP. “Dudu 7 Choros” feitos tendo como inspiração barulhos incessantes e irritantes de uma obra embaixo do apartamento da avó, onde morava, na 411 Norte. “Mas era o tempo todo sem parar. Por isso, fiz também uma música chamada `De tarde´, que não gravei porque esqueci a melodia”, diz. A faixa “Breu na Carona do Fole” veio como homenagem ao amigo e cavaquinista Léo Benon, que também estará no regional que se apresenta no Estação do Choro, no dia 24 de novembro, no Teatro Ary Barroso. Como solista, Tiago Tunes retorna ao projeto depois de ter aberto o “Estação do Choro” em março de 2019, ao seu lado, além do próprio Dudu 7 Cordas, estarão Igor Diniz (Contrabaixo Acústico) e Junior Viégas (pandeiro).

Na gravação do disco, cuja captação, mixagem, masterização e edição ficou a cargo de Igor Diniz, Dudu contou com vários músicos, símbolo do talento brasiliense de raiz que o Estação do Choro existe para promover. Além dos integrantes do regional que estarão no SESC, participaram das gravações: Bruno Patrício (sax tenor), Victor Angeleas (violão tenor), Rafael Bandol (bandolim), Thanise Silva (flauta) e Rodrigo Zolet (Acordeon). Dudu 7 gravou os violões e as percussões gerais. Um trabalho que poderá ser conferido nas plataformas digitais depois do show, mas que ninguém precisa esperar tanto para ouvir porque ele estará ao vivo na intimidade única do teatro, no dia  24/11, às 20hs, no Estação do Choro. Garanta logo seu ingresso!!

SERVIÇO

Estação do Choro Especial - Dudu 7 Choros

Data: 24/11/2023 (sexta-feira)

Hora: 20H

Ingressos: 40 (inteira) e 20 (meia)

Local: SESC da 504 Sul

Ingressos antecipados: https://bit.ly/49oy6pi

 Fonte: Estação do Choro 

Fotos: